Menu
ITALÍNEA DOURADOS
sbado, 20 de outubro de 2018
KAGIVA
Busca

Ponto Frio tenta derrubar cobrança do ICMS nas vendas online em MS, mas justiça nega

6 Mai 2011 - 16h45Por Midiamax - Éser Cáceres

A reação das grandes redes de comércio eletrônico à tributação nas compras online feitas por consumidores de Mato Grosso do Sul teve uma derrota. Nesta quinta-feira (5), o Tribunal de Justiça de MS negou uma liminar pedida pelo grupo Ponto Frio que tentava derrubar o pagamento do ICMS ao fisco sul-mato-grossense.

Desde o último dia primeiro, todos os produtos comprados pela internet por moradores de Mato Grosso do Sul precisam recolher ao Governo Estadual a diferença das alíquotas praticadas pelo estado de origem dos produtos e o ICMS sul-mato-grossense.

É que o governo sul-mato-grossense, acompanhando a decisão de mais 19 estados brasileiros, passou a cobrar ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) nas compras online.

Pela nova regra, todos os produtos comprados através da internet de empresas dos estados da região sul e sudeste, exceto Espírito Santo, geram aos cofres públicos estaduais tributos de 10%. Já as adquiridas em empresas das regiões norte, nordeste e do Espírito Santo, são tributadas em 5%.

Como o sistema ainda está em implantação, o Governo de MS impôs a cobrança antecipada. As empresas que vendem online em Mato Grosso do Sul devem se cadastrar no Fisco Estadual como substitutas tributárias, para recolherem o ICMS até o dia 9 do mês seguinte à data das compras para pagarem a diferença no imposto.

Enquanto isso, quem vende pela internet tem que recolher o ICMS aos cofres estaduais através do DAE (Documento de Arrecadação Estadual) ou da GNRE (Guia Nacional de Recolhimento de Tributos Estaduais) antes de enviar a mercadoria para o comprador.

Todo produto flagrado sem um dos dois documentos que comprovem o pagamento do imposto ficará retido no primeiro posto fiscal sul-mato-grossense pelo qual passar e será encaminhado para depósitos da Secretaria de Fazenda.

Ponto Frio online

O que a rede Ponto Frio tentou foi derrubar essa imposição. Na liminar pedida, a loja virtual queria a liberação das mercadorias adquiridas pela internet, telemarketing e showroom, sem as eventuais lavraturas de Termos de Retenção ou Ato de Infração, nem a exigência de recolhimento de ICMS.

A rede varejista Ponto Frio, adquirida pelo Grupo Pão de Açúcar, tem aos poucos transferido as operações apenas para o ambiente virtual. Em janeiro deste ano, a empresa fechou mais de 30 lojas no estado da Bahia, para onde só mantém vendas pela internet desde então.

Guerra tributária

A decisão de cobrar o imposto sobre as compras virtuais é uma tentativa dos estado de abocanharem um pouco do bolo tributário gerado pelo comércio online. Como a maior parte das empresas que vendem pela internet ficam em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, os três estado juntos concentram a maior fatia dos tributos nas transações pela web.

Na última reunião do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), foi aprovado um protocolo assinado por 19 estados que resolveram cobrar o imposto nas compras feitas por consumidores dentro dos territórios de cada um.

Deixe seu Comentário

Leia Também

IBOPE NO MS - PESQUISA
IBOPE em Mato Grosso do Sul, votos válidos: Azambuja, 53%; Odilon, 47%
BONITO - MS - AÇÕES MEIO AMBIENTE
SEMA distribui frutas produzidas no Viveiro de Mudas Nativas de Bonito (MS)
BONITO - MS - REFORMA
Prefeitura reforma instalações do Programa Bolsa Família que atende 650 beneficiários em Bonito (MS)
ELEIÇÕES 2018 - FÁBRICA DE FAKE NEWS
Polícia e Justiça 'explodem' fábrica de fake news de coordenador de Odilon
TRAGÉDIA NAS ESTRADAS DO MS
Empresário e filho de 1 ano que morreram em acidente, retornavam de Bonito (MS)
BONITO - MS - ESPORTE -
Bonito (MS) recebe estadual de beach tennis neste fim de semana
TIRO ACIDENTAL
Pai foge após matar filho de 10 anos com tiro acidental no ouvido em cidade do MS
BONITO - JARDIM - BODOQUENA E BELA VISTA
BONITO e mais 3 cidades recebem auxilio da Agesul na recuperação de estradas devido as chuvas
PESQUISA NO MS
Em nova pesquisa, Reinaldo tem 54.21% e Juiz Odilon 45.79%, VEJA NÚMEROS
DATAFOLHA - PRESIDENTE
Datafolha para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%