Menu
KAGIVA
segunda, 20 de agosto de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

PF prende caçadores de animais com armas e 200 kg de carne no AM

20 Mai 2011 - 10h35Por Folha.com

Policiais federais prenderam oito caçadores de animais silvestres em uma reserva indígena no município de Boca do Acre (AM), na manhã de terça-feira (17).

Os policiais apreenderam oito espingardas, munições, um motor de barco, diversas facas e cerca de 200 kg de carne de animais abatidos.

De acordo com a PF, os caçadores estavam na reserva indígena desde a última sexta (13). O grupo foi surpreendido a cerca de 40 km da rodovia BR-317, quando retornava de uma caçada

Funcionários da Funai (Fundação Nacional do Índio), que acompanhavam a operação, e líderes da comunidade indígena autorizaram a entrada dos policiais na área da reserva.

Os presos e os materiais apreendidos foram levados para a Superintendência Regional da Polícia Federal do Acre, onde o caso foi registrado.

Os oitos caçadores presos em flagrante foram indiciados por porte ilegal de arma de fogo e por matar animais de fauna silvestre em terras indígenas sem permissão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PROPAGANDA ANTECIPADA
Juiz rejeita recurso e mantém multa de R$ 31,5 mil a Odilon por uso de outdoors
AÇÕES DO GOVENO DO MS
Em 4 anos, Governo Reinaldo entrega mais pontes de concreto do que em toda história do Estado do MS
BONITO - MS
Jogos Escolares 2018 terão início nesta segunda-feira, dia 20 em Bonito
EM MIRANDA - MS - CASO DE POLÍCIA
Donos de casa noturna são presos por estupro coletivo de adolescente em Miranda
STOCK CAR
Vítima atropelada na Stock Car Light permanece no CTI
TJMS
Tribunal de Justiça triplica valor do "auxílio saúde" para juízes e desembargadores
ECONOMIA
Tesouro pagou em julho R$ 602,43 milhões em dívidas de estados
EDUCAÇÃO
Começam hoje inscrições para bolsas remanescentes do ProUni
JUSTIÇA
Ministras do STF conclamam mulheres a buscar igualdade pelo voto
ESTUDANTE DE MEDICINA NO PARAGUAI
Estudante de medicina foi morta com mais de 16 facadas na fronteira; namorado é principal suspeito