Menu
ASSOMASUL MARÇO
quinta, 18 de abril de 2019
mutantes
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Perdas nas lavouras de soja por conta das chuvas atingem R$ 145 milhões no MS

7 Mar 2011 - 08h34Por Correio do Estado

A chuva intensa ameaça novo recorde na safra de grãos em Mato Grosso do Sul, que poderia chegar a 10,042 milhões de toneladas neste ano. Nos últimos dias, produtores rurais contabilizam perda de 3% a 4% das lavouras de soja, que pode representar prejuízos de aproximadamente R$ 145 milhões. E se o tempo chuvoso continuar no carnaval, o setor prevê que até 20% da produção poderá apodrecer no campo por falta de condições para a colheita da oleaginosa.

De acordo com o presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja), Almir Dalpascoale, os agricultores estão em alerta máximo desde quinta-feira. “Se continuar chovendo amanhã (hoje), vamos acender o sinal vermelho, preto, e podemos perder tudo (que está pronto) para colher”, afirmou. Ele estima que cerca de 15% a 20% da soja está pronta para colher no Estado.

A situação é considerada dramática nos principais municípios produtores do Estado. Em Sidrolândia, segundo o presidente do Sindicato Rural, Osório Luiz Straliotto, 30% da soja está em condições de ser colhida. Ontem, ele estimou que metade já se perdeu. “50% já está germinando na vagem, que já abriu com a chuva e brotou com a umidade”, contou, alarmado após fazer uma vistoria com técnicos da Agência Estadual de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer).

“Nunca aconteceu nada nesta proporção”, lamentou o dirigente, que deve se reunir com o prefeito para pedir a decretação de estado de emergência. Straliotto contou que a situação se repete em toda a região. “Teve gente que viajou para Ponta Porã e viu a mesma situação”, contou, sobre a chuva constante nos últimos quatro dias no Estado.

O presidente do Sindicato Rural de Dourados, Marisvaldo Zeuli, afirmou que o risco de perder a soja na região é grande, mas ainda não constatou perda de parte da lavoura. “Se a chuva não der trégua, tem risco de perder”, afirmou.

Prejuízos

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) previa novo recorde da safra de grãos neste ano em Mato Grosso do Sul, com a histórica marca de 10,042 milhões de toneladas. No entanto, a chuva em excesso ameaça os cultivos de milho e soja, que respondem por 94% da produção de grãos no Estado.

O órgão prevê a colheita de 5,687 milhões de toneladas de soja nesta safra. No entanto, somente com o atraso na colheita, Dalpascoale estima que a perda atinge de 3% a 4% da oleaginosa, o que significa perda de 170 mil a 227 mil toneladas de grãos. Só na comercialização das sacas não colhidas, que apodreceram no solo, o prejuízo ao produtor é de R$ 125 milhões a R$ 166,8 milhões. Se fosse comercializado com o exterior, o prejuízo somaria US$ 53 milhões.

E a situação poderá ficar pior se a perda atingir de 15% a 20% da soja em condições de colheita. A perda oscilaria entre 853 mil a 1,13 milhão de toneladas do grão. O atraso na colheita da soja compromete a segunda safra do milho, que responde por 92% da produção do grão no Estado (3,7 milhões de toneladas).

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Procurado por homicídio em MS morre em confronto com a polícia no Paraná
AÇÕES DO GOVERNO DO MS
Governador Reinaldo Azambuja levou acesso à saúde para dentro das aldeias de MS
CASO MAJOR MORTO EM BONITO
Em audiência, Justiça mantém prisão de pintor que matou major a facadas em Bonito (MS)
COMPORTAMENTO
Em 1981, quebra-quebra em show marcou vinda do cantor ao interior de MS
MEIO AMBIENTE
Assembleia cria frente parlamentar sobre problemas dos rios da região de Bonito
TEMPO E TEMPERATURA
Previsão do tempo neste feriadão está favorável para o ecoturismo no Estado
VACINAÇÃO
Status de área livre de aftosa sem vacinação é oportunidade estratégica para MS
GERAL
Polícia Militar Rodoviária lança Operação Semana Santa 2019
TURISMO
Vai viajar no feriado e curtir o MS? Veja a previsão do tempo para municípios turísticos do Estado
BONITO - MS - FERIADÃO
Bonito (MS) tem 100% dos passeio operando plenamente nesse feriado de Páscoa