Menu
KAGIVA
sŠbado, 20 de outubro de 2018
ITAL√ćNEA DOURADOS
Busca

Pecuaristas do pantanal querem medidas contra perdas do rebanho

31 Ago 2011 - 07h44Por Correio do Estado

Produtores rurais pantaneiros querem a postergação das dívidas com instituições bancárias como forma de minimizar os impactos das perdas trazidas pela última cheia. A definição foi tomada em reunião de pecuaristas com representantes da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), na Casa Rural, em Campo Grande, nesta segunda-feira (29).

A proposta de adiar o pagamento das parcelas de crédito com vencimento este ano para o final do contrato já foi levada para a Secretaria de Produção e Turismo (Seprotur) e será encaminhada pela Famasul para as instituições financeiras do setor em Mato Grosso do Sul. Depois de uma das maiores cheias das últimas décadas, a pecuária pantaneira amarga os prejuízos tanto do excesso de chuva como da seca e frio que estão sucedendo o período chuvoso. Algumas propriedades já registram na ponta do lápis perdas que ultrapassam 10% do rebanho.

Os danos são reflexos de uma super cheia que não respeitou o já estabelecido ciclo das águas pantaneiras. O período de chuva, que normalmente ocorre de novembro a março, concentrou-se no final de fevereiro e início de março. O destempero do clima - que por se dar no período da colheita ocasionou perdas expressivas também para a agricultura no Estado – dificultou a retirada do gado das áreas alagadiças. “Foi um tsunami pantaneiro”, comparou um produtor que prefere não se identificar, um dos que contabiliza perda acima de 10% do rebanho.

O pico da cheia de 2011 chegou a 5,62 metros, registrados no rio Paraguai na régua colocada no município de Ladário. Foi a terceira maior cheia desde 1995, quando o rio atingiu 6,56 metros. Depois desse período, segundo a Embrapa, o Pantanal iniciou um longo ciclo de seca, com inundações abaixo de 5 metros. A maior cheia na região ocorreu em 1988, chegando a 6,64 metros.

Depois de perder gado afogado, os pecuaristas enfrentam agora a dificuldade de alimentar o rebanho, pois o Pantanal entrou novamente em período de estiagem e, se o calendário climático seguir o curso normal, as chuvas chegarão apenas em novembro. Ou seja, os animais retirados para as partes mais altas estão fracos e padecendo de fome. “É uma situação de difícil solução”, avalia o presidente da Comissão de Pecuária de Corte da Famasul, José Lemos Monteiro. E a preocupação é de que os efeitos sejam ainda piores. “Há 40 anos registro o movimento das chuvas no Pantanal e depois de uma grande enchente sempre vem uma grande seca”, afirma o criador pantaneiro.

As perdas, que a princípio podem ser consideradas individuais, somam para uma condição que preocupa os pecuaristas em âmbito nacional: a redução do rebanho brasileiro. Mato Grosso do Sul chegou a registrar 24 milhões de cabeças em 2004, hoje tem menos de 20 milhões segundo dados do IBGE. Entre os fatores geradores da redução estão a queda na renda do pecuarista e o abate acentuado de matrizes. “Diagnóstico de gestação feito este ano prevê baixa taxa de prenhez, o que resultará em baixa desmama de bezerros em 2012”, afirma Monteiro, avaliando que o fator se reverterá em maior redução do rebanho.

Segundo dados da Embrapa Pantanal, os municípios pantaneiros de Corumbá, Coxim, Rio Verde, Aquidauana, Miranda e Porto Murtinho concentram um rebanho de 2,4 milhões de cabeças.

Deixe seu Coment√°rio

Leia Também

IBOPE NO MS - PESQUISA
IBOPE em Mato Grosso do Sul, votos v√°lidos: Azambuja, 53%; Odilon, 47%
BONITO - MS - A√á√ēES MEIO AMBIENTE
SEMA distribui frutas produzidas no Viveiro de Mudas Nativas de Bonito (MS)
BONITO - MS - REFORMA
Prefeitura reforma instala√ß√Ķes do Programa Bolsa Fam√≠lia que atende 650 benefici√°rios em Bonito (MS)
ELEI√á√ēES 2018 - F√ĀBRICA DE FAKE NEWS
Polícia e Justiça 'explodem' fábrica de fake news de coordenador de Odilon
TRAG√ČDIA NAS ESTRADAS DO MS
Empres√°rio e filho de 1 ano que morreram em acidente, retornavam de Bonito (MS)
BONITO - MS - ESPORTE -
Bonito (MS) recebe estadual de beach tennis neste fim de semana
TIRO ACIDENTAL
Pai foge após matar filho de 10 anos com tiro acidental no ouvido em cidade do MS
BONITO - JARDIM - BODOQUENA E BELA VISTA
BONITO e mais 3 cidades recebem auxilio da Agesul na recuperação de estradas devido as chuvas
PESQUISA NO MS
Em nova pesquisa, Reinaldo tem 54.21% e Juiz Odilon 45.79%, VEJA N√öMEROS
DATAFOLHA - PRESIDENTE
Datafolha para presidente, votos v√°lidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%