Menu
mutantes
quinta, 25 de abril de 2019
ASSOMASUL MARÇO
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Paraná corta pensão de ex-governadores

21 Mar 2011 - 12h14Por Folha.com

O governo do Paraná decidiu suspender, por meio de um ato administrativo, o pagamento de aposentadorias para quatro ex-governadores do Estado.

Serão encerrados os benefícios --no valor de R$ 24 mil mensais-- dos ex-governadores Roberto Requião (PMDB), Orlando Pessutti (PMDB), Jaime Lerner e Mário Pereira (PDT), que governaram o PR de 1991 a 2010.

Ficam mantidos, porém, os pagamentos a cinco ex-governadores e quatro viúvas que haviam obtido o benefício antes da Constituição de 1988, o que inclui Arlete Richa, mãe do atual governador, Beto Richa (PSDB).

Ela começou a receber a pensão depois que seu marido, José Richa, morreu, em 2003. Richa foi governador entre 1983 e 1986.

A decisão do atual governo se baseia num parecer da Procuradoria Geral do Estado, da última sexta-feira.

De acordo com o documento, as pensões "não se enquadram em nenhum dos conceitos a respeito de remunerações de agentes públicos" e contrariam a Constituição Federal de 1988, que não estabelece benefício semelhante aos ex-presidentes da República.

Já as aposentadorias concedidas antes de 1988 foram consideradas legais porque estão "em perfeita simetria" com a Constituição de 1967, que também previa o recebimento de um subsídio vitalício pelos ex-presidentes.

SEM DEVOLUÇÃO

A decisão do governo não obrigará os quatro ex-governadores a devolver os valores recebidos nos últimos anos.

O ato administrativo deve ser assinado hoje pelo governador Beto Richa. Os políticos terão cinco dias, a contar da publicação do despacho, para contestar essa decisão.

Decorrido esse prazo, o pagamento das aposentadorias estará suspenso e será considerado nulo o artigo da Constituição Estadual que prevê o pagamento do benefício.

O pagamento das pensões gerou polêmica no início do ano, quando foi revelado que políticos como Pedro Simon (PMDB-RS) recebiam esse tipo de remuneração.

A Folha revelou que, em Santa Catarina, a filha de um governador do século 19 recebe R$ 15 mil mensais.

SENADOR

Em fevereiro, o governo do Paraná já havia cancelado o pagamento ao ex-governador e atual senador Alvaro Dias (PSDB), que exerceu o cargo entre 1987 e 1991.

Dias havia solicitado a pensão em outubro do ano passado, quase 20 anos após deixar o governo. A Procuradoria Geral do Estado considerou que o benefício já havia prescrito.

No total, Álvaro Dias recebeu três pagamentos. Na época, o senador afirmou que doou integralmente todos os valores para instituições de caridade.

No Rio Grande do Sul, Pedro Simon acabou renunciando ao benefício.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Bolsonaro assina decreto que encerra com o horário de verão
GERAL
Operação cumpre mandados contra retenção de cartões de indígenas
BONITO - MS - ARRASÃO
Polícia flagra 30 fraudes de energia em pousadas, hotéis, restaurantes e lojas de Bonito
CIDADES
Empresa de MS demite funcionário por debochar de currículos em redes sociais
ECONOMIA
Bancos compartilharão dados de clientes com integração de plataformas
GERAL
Quando a vontade de morrer surge no Facebook, vale a pena ficar em silêncio?
DEFESA SANITÁRIA
Seguindo plano para retirada da vacina contra aftosa, MS apresenta ações em reunião do PNEFA
BONITO - MS - INSCRIÇÕES
Inscrições para o Conselho Tutelar se encerram nesta sexta-feira em Bonito (MS)
POLÍCIA
Anão do crime mobiliza até elite da PM para sua prisão em MS
POLÍTICA
Para bancada de MS, barganha para Reforma da Previdência é fake ou crime