Menu
KAGIVA
quarta, 14 de novembro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

País precisa de R$ 3 trilhões para suprir deficit habitacional

14 Mar 2011 - 13h35Por Folha.com

O Brasil precisará de R$ 3 trilhões até 2022 para construir as 23 milhões de moradias necessárias para suprir seu deficit habitacional, de acordo com o Deconcic (Departamento da Indústria da Construção) da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

A estimativa foi apresentada em São Paulo em entrevista a jornalistas para apresentação da 19ª Feicon Batimat (Feira Internacional da Construção) que acontece de 15 a 19 de março na capital paulista.

Além disso, o Deconcic prevê que, no mesmo período, sejam investidos R$ 2 trilhões em infraestrutura, em recursos tanto públicos quanto privados. O Brasil, de acordo com o departamento da FIESP, está abaixo da média mundial em qualidade geral de infraestrutura, com nota 3,8. A média global é 4,3, em uma escala que vai até 7.

"Não sabemos planejar, infelizmente. Vamos ter que aprender urgentemente para fazer uma Copa e uma Olimpíada brilhantes", diz Maria Luiza Salomé, diretora do Deconcic.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS
Encontro nacional de adoção começa nesta quinta em Bonito
DOURADOS - AÇÃO NA FAVELINHA
Polícia faz ação em ‘favelinha’ em busca de criminosos em Dourados
BONITO - MS - DINHEIRO NA CONTA
Prefeitura deposita a 1ª parcela do 13º salário aos servidores em Bonito (MS)
ATENÇÃO BONITO (MS)
Secretaria divulga período de matrículas e rematrículas em Bonito (MS)
CIDADES
Filho de 22 anos ameaça pai que negou dinheiro de mesada em MS: 'Vou voltar aqui com uma pistola'
TURISMO
MS está entre os finalistas do Prêmio Nacional do Turismo
SEGURANÇA PÚBLICA
Agentes de MS se capacitam em intervenção e escolta prisional de alto risco
CRIME NA CAPITAL
Diarista suspeita de participar de latrocínio é morta na frente da filha
TEMPO E TEMPERATURA
Predomínio de sol e chuva forte em algumas regiões à tarde em MS
AÇÕES DO GOVENO DO MS
A pedido de Reinaldo, recuperação da principal ferrovia de MS será prioridade de Bolsonaro