Menu
KAGIVA
quinta, 21 de junho de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Número de pessoas suspeitas de lavagem de dinheiro aumenta 154% em um ano

20 Mai 2011 - 09h50Por Agência Brasil

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), do Ministério da Fazenda, identificou 24.168 pessoas suspeitas de lavagem de dinheiro no país em 2010. Os nomes foram citados em mais de mil relatórios sobre operações suspeitas rastreadas pelo Coaf ao longo do ano.

O número de pessoas suspeitas é 153% maior do que o registrado em 2009, quando o Coaf identificou 9.522 pessoas possivelmente ligadas a operações de lavagem de dinheiro no Brasil.

Os relatórios elaborados pelo Coaf servem de base para a abertura de investigações pela Polícia Federal e pelo Ministério Público. “O Coaf não investiga. Ele apenas detecta movimentações em que possa haver ilícitos e as encaminha para à polícia e ao Ministério Público”, afirmou hoje (19) o presidente do Coaf, Antonio Gustavo Rodrigues, à Agência Brasil.

O Coaf monitora operações em diversos setores como as loterias, cartões de crédito, lojas de joias e antiguidades, compra de imóveis, mercado de seguros e previdência. Entre as atividades que recebem atenção especial do órgão estão as “operações atípicas” informadas pelos bancos, isto é, movimentações suspeitas de dinheiro que podem estar encobrindo alguma ação ilegal.

De 2009 para 2010, a comunicação, dos bancos para o Coaf, sobre esse tipo de operações aumentou 42%, passando de 22 mil para 31 mil. Apenas entre janeiro e abril deste ano, já foram comunicadas ao Coaf 11.693 operações suspeitas.

As comunicações são o primeiro passo para o Coaf iniciar o monitoramento de uma operação de lavagem de dinheiro. Caso haja indícios de irregularidades, são, então, elaborados os relatórios que serão encaminhados à polícia.

“Temos tido um crescimento desse tipo de comunicação, por parte dos bancos, nos últimos anos. E isso vem aumentando por vários fatores, entre eles, o investimento que o sistema financeiro faz em treinamento de pessoal e novos sistemas. Esse é um sinal positivo, já que mostra que os bancos estão conscientes do papel deles de não serem usados em lavagem de dinheiro”, disse.

A proximidade de grandes eventos esportivos internacionais que ocorrerão no Brasil, como a Copa do Mundo de Futebol de 2014 e as Olimpíadas do Rio de 2016, é outra preocupação das autoridades brasileiras, em relação à lavagem de dinheiro.

Para o inspetor-chefe da Receita Federal no Porto do Rio, Ewerson Augusto Chada, há a possibilidade de estrangeiros usarem os eventos para tentar “lavar” dinheiro, isto é, tornar “legais” recursos provenientes de atividades ilegais e criminosas, como o tráfico de drogas e a corrupção.

“Foi detectada a possibilidade da ocorrência de lavagem de dinheiro tanto em operações de comércio exterior quanto em outros tipos de operações, pela presença de muitos estrangeiros que virão ao Brasil em decorrência desses eventos”, afirmou o inspetor.

Deixe seu Comentário

Leia Também

OPORTUNIDADES
Senai oferece 1,5 mil vagas em 15 cursos técnicos
CIDADES
IFMS divulga aprovados na graduação e chama para matrícula a partir de sexta
ESPORTES
Atleta de MS avança para fase principal de etapa do Mundial na República Tcheca
COPA 2018
Neymar volta a treinar, e Tite deve repetir equipe titular contra a Costa Rica
EM FAZENDA
Homem é atacado por touro no Pantanal e é resgatado por helicóptero
SANEAMENTO
Terceirização da Sanesul pode sair ainda nesse ano, diz Azambuja
REPERCUSSÃO
Assédio a mulher na Rússia envergonhou Brasil, diz ministro do Esporte
ECONOMIA
Venda direta de etanol pode reduzir preço para o consumidor nos postos
BONITO - MS - OBRAS
Prefeitura de Bonito vai reformar ponte sobre o Córrego Roncador
CRIME ORGANIZDO
Armamento encomendado pelo PCC da Bahia é apreendido em MS