Menu
KAGIVA
tera, 16 de outubro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Número de brasileiros com US$ 100 mil no exterior cresce 19%

24 Ago 2011 - 10h34Por Folha.com

O número de brasileiros com mais de US$ 100 mil no exterior cresceu 19,3% em 2010, de acordo com a pesquisa Capitais Brasileiros no Exterior, do Banco Central.

São 17.879 pessoas físicas que fizeram a declaração obrigatória ao BC e que possuíam US$ 45,6 bilhões foram do país no final do ano passado.

O número de empresas com o mesmo valor cresceu 13,3% em relação a 2009, para 2.191. As pessoas jurídicas responderam por US$ 228,9 bilhões (83,4% do total).

Em comparação ao primeiro levantamento, em 2001, o número de declarantes aumentou 72% e ultrapassou 20 mil pela primeira vez.

O valor total dos investimentos cresceu 23%, com destaque para as aplicações em ações e títulos de renda fixa, que respondem por 14% do total. Nos dois casos se destacam as aplicações nos EUA.

Os investimentos em ações registraram elevação de 70,5%. Quase metade são recibos de ações brasileiras negociadas fora do país.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRIGA INTERNA EM PLENA CAMPANHA
Conselho de Ética do PDT pede 'cabeça' de Odilon por apoio a Bolsonaro
BONITO - MS - OBRAS E MELHORIAS
BONITO: Agesul e prefeitura concluem revitalização de mais de 70 KM da estrada vicinal da La Lima
ELEIÇÕES PARA PRESIDENTE
Bolsonaro lidera em 4 regiões; Haddad está na frente no Nordeste, VEJA OS GRÁFICOS
LUTO NA TV
Aos 78 anos, morre o jornalista Gil Gomes
TRAGÉDIA
Menina de 2 anos é atropelada na garagem de casa quando mãe dava ré no carro, em Campo Grande
APOIO À REINADO AZAMBUJA
Deputado do MDB reúne prefeitos, vereadores e lideranças de MS em apoio à Reinaldo Azambuja
BONITO - MS
Conhecimento e muita diversão marcaram o 7° Acampamento do Instituto Mirim Ambiental de Bonito
DESAPARECEU
Servidora pública com depressão desaparece e preocupa família
PESQUISA IBOPE PARA PRESIDENTE
IBOPE: Para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%
BONITO - MS - RIO MIRANDA
Em Bonito, Rio Miranda volta ao nível normal e Defesa Civil monitora as regiões mais afetadas