Menu
ITALÍNEA DOURADOS
quarta, 17 de outubro de 2018
KAGIVA
Busca

Não falta água no mundo, afirmam especialistas

27 Set 2011 - 11h04Por Revista Veja online

Existe água suficiente no mundo para responder às necessidades alimentares, energéticas, industriais e ambientais no século XXI. A informação é baseada em números publicados na revista Water International, lançada nesta segunda-feira no XIV Congresso Mundial da Água. De acordo com dados da publicação, o maior desafio hídrico não é a escassez de água, mas combater a utilização ineficiente e a distribuição irregular do recurso natural que flui das principais bacias hidrográficas do mundo, como as dos rios São Francisco, no Brasil, e Nilo, na África.

De acordo com o relatório, os governos precisam atuar com mais empenho na distribuição da água para impedir a competição e ajudar a enfrentar um dos maiores problemas da humanidade: aumentar a produção de comida enquanto a população do mundo cresce. As conclusões foram traçadas com base em um estudo de cinco anos, feita por cientistas de 30 países em 10 bacias ao redor do mundo: Andes e São Francisco na América do Sul; Limpopo, Níger, Nilo e Volta, na África; e os rios Indo-Ganges, Karkheh, Mekong e Amarelo, na Ásia.

Água da chuva - Uma sugestão do relatório é aproveitar mais a água da chuva, particularmente nas regiões chuvosas da África subsaariana. Com investimentos modestos, afirmam os especialistas, seria possível produzir entre duas e três vezes mais comida do que atualmente. Os pesquisadores identificaram grandes áreas férteis na Ásia e na América do Sul onde a produção está, pelo menos, 10% abaixo do seu potencial. Por exemplo, no sistema Indo-Ganges, na Índia, 23% do cultivo de arroz está rendendo metade do seu potencial. De acordo com o relatório, se os governos aproveitarem melhor a água da chuva, a produção pode aumentar rapidamente e, ainda, a pressão sobre as bacias e rios seria aliviada.

Conflitos - Apesar de existir água suficiente no mundo, os conflitos continuarão se os desafios da agricultura, pecuária e produção de energia forem considerados isolados. De acordo com os especialistas, a maioria das regiões estudadas possui uma administração fragmentada das bacias e não relaciona os diferentes setores que utilizam a água. "Precisamos repensar completamente como os setores podem tirar vantagem dos benefícios das bacias", disseram os autores. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ENTRETENIMENTO
FAZENDA 10: Dívida de Perlla com ex-empresário ultrapassa R$ 1 milhão
A FAZENDA 10 - ENTRETENIMENTO
'Vaza' passado cabeludo de Fernanda Lacerda e Léo Stronda fora da Fazenda
A FAZENDA 10 - FOGO NO FENO
Mulher de Rafael Ilha detona Gabi Prado e dispara contra peoa: 'Deve sofrer de alguma doença'
RETA FINAL - NOVELA DA GLOBO
Beto confronta Karola: 'Você roubou a vida de outra mulher' em Segundo Sol
OPERAÇÃO DA POLÍCIA FEDERAL
Temer recebeu R$ 5,9 mi em propinas do setor portuário, diz PF
BONITO - MS - RESULTADO DO CONCURSO
Confira os aprovados no concurso público da Câmara em BONITO (MS)
AÇÕES DO GOVENO DO MS
Em quatro anos, governo de MS investe R$ 265 milhões em Corumbá
NA REGIÃO DE BONITO
Motorista morre após caminhão cair de serra na MS-382 na região de Bonito (MS)
ESPORTES
Sete atletas representam MS no Brasileiro de Futebol de Mesa
EDUCAÇÃO
Horário de verão vai começar no mesmo dia da primeira prova do Enem