Menu
mutantes
sexta, 15 de fevereiro de 2019
MATO GROSSO DO SUL
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Moka cobra solução para terras brasileira nas mãos de estrangeiros

9 Set 2011 - 16h03Por Campo Grande News

O senador Waldemir Moka (PMDB) cobrou do governo federal a edição de regras mais claras para aquisição de terras no país por estrangeiros ou por empresas brasileiras controladas por capital estrangeiro.

Em pronunciamento nesta quinta-feira (8) no Senado, Moka disse que a polêmica surgiu a partir da elaboração do Parecer nº 01/2008, da Advocacia-Geral da União (AGU), em agosto de 2010.

Pelo parecer, ao distinguir a empresa de capital nacional e a empresa brasileira com participação estrangeira, a compra de imóveis rurais por pessoas físicas ou jurídicas estrangeiras passam a ser submetidas a uma prévia autorização do Incra.

Segundo o Governo, as informações indicavam que a compra de terras e o arrendamento eram crescentes e fugia ao controle dos cadastros oficiais.

Moka diz que essa indefinição tem provocado a paralisação de investimentos em todo o país. Só no setor de florestas plantadas e unidades industriais de painéis de madeira, siderúrgicas a carvão vegetal e unidades de produção de celulose e papel foram suspensos empreendimentos de R$ 37 bilhões.

“Outros R$ 16 bilhões também deixaram de ser investidos no segmento de cana de açúcar, como no cultivo da cana e nas indústrias de produção de açúcar, etanol e álcool químico (plástico verde)”, argumentou.

Moka disse que levantamento do Incra indica que 4,5 milhões de hectares ou 45 mil quilômetros quadrados, o equivalente a aproximadamente 20% do Estado de São Paulo, estavam em poder de estrangeiros.

Como era - As regras vigoravam desde 1970 e estabeleciam limites de até 15 módulos para pessoa física estrangeira e de até 100 módulos para empresa, com exploração indefinida, limitada a 25% da área total de um município.

O senador disse que a decisão do Governo, adotada a partir do parecer da AGU, limitou a 15 módulos para pessoas físicas estrangeiras e até 30 módulos para pessoas jurídicas, reduzida para o máximo de 10% da área do município. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Homem é preso em MS por estuprar crianças, filmar e divulgar vídeos
EMPREENDEDORISMO
Seleção oferecerá consultoria gratuita para 200 mulheres em MS
MEIO AMBIENTE
Em 15 dias, polícia ambiental capturou 8 cobras em residências de MS
POLÍCIA
Militares rodoviários são presos pelo Bope com dinheiro de propina em MS
GERAL
Campanha de fiscalização vai vistoriar quase dois mil veículos do sistema intermunicipal
BONITO - MS - VANDALISMO NO BALNEÁRIO
Balneário Municipal é alvo de vandalismo e prefeitura registra ocorrência em Bonito (MS)
CIDADES
Uems abre processo seletivo para professores temporários em duas cidades
MEIO AMBIENTE
Em 14h, chuva soma 90 milímetros e nível do Rio Aquidauana sobe
BONITO - MS
Bonito Cross: Fim do horário de verão neste sábado põe atletas em alerta
SAÚDE
Febre amarela: OMS recomenda vacina a visitantes de MS e mais 20 Estados