Menu
BONITO CÂMARA OUTUBRO 2019
quinta, 17 de outubro de 2019
BANNER ANNA
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Ministra do Meio Ambiente não abre mão de punir quem desmatou

1 Abr 2011 - 13h02Por Agência Brasil

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, afirmou ontem (31 de março) que não abre mão de punir os produtores rurais que desmataram ilegalmente. O assunto faz parte dos debates em torno do novo Código Florestal, que está em discussão no Congresso Nacional.

“O Ministério do Meio Ambiente nunca concordou com anistia a desmatador. A quem cometeu crime ambiental, desrespeitando a lei, não cabe anistia”, frisou a ministra, durante debate sobre meio ambiente na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ).

Apesar de reconhecer que o tema continua polêmico entre os parlamentares, polarizados entre ruralistas e ambientalistas, Izabella Teixeira mostrou-se mais otimista quanto aos rumos das negociações. Segundo a ministra, existe hoje predisposição de todos os atores para o diálogo e para a construção de convergência, numa perspectiva muito diferente da de 2010. "O clima é outro: é de negociação e muito positivo”, afirmou.

O deputado Alessandro Molon (PT-RJ), que também participou do debate, demonstrou preocupação com o formato final do Código Florestal. “O relatório do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), como está hoje, nem de longe me agrada. É preciso debatê-lo mais, modificá-lo em pontos importantes, protegendo as áreas de proteção permanente”, disse o deputado.

Molon denunciou a possibilidade de haver um “patrolamento” da bancada ruralista na questão, usando de força para aprovar a matéria, sem maior discussão. Ele afirmou que o risco existe e que a sociedade precisa de mobilizar para evitar que isso aconteça. "É hora de mandar e-mails e cartas, telefonar para seus representantes, cobrando firmeza no enfrentamento da bancada ruralista, que vai pensar em primeiro lugar nos negócios e nos lucros. Devemos pensar na proteção da vida e na preservação do meio ambiente”, destacou.

O reitor da PUC Rio, Josafá Carlos de Siqueira, criticou a forma como o Código Florestal está sendo tratado no Congresso. Segundo ele, não se pode fazer modificações contra a preservação do meio ambiente ou que representam retrocesso. "Não tem sentido darmos passos para trás", disse Siqueira.

"O aconselhável é levar em conta a opinião dos cientistas, antes de tomar determinadas atitudes. Redução da área de florestas [nas margens de rios] vai de encontro a todos os estudos que nós temos”, criticou o reitor.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DINHEIRO FALSO
CUIDADO: comerciante de Bonito procura polícia após receber dinheiro falso de cliente
BONITO - MS - CONGRESSO
Bonito (MS) recebe o VIII Congresso Brasileiro de Enfermagem Pediátrica
SORTUDO
Aposta única acerta as 6 dezenas e fatura R$ 34 milhões na Mega-Sena
Meteorologia
Quinta-feira promete ser quente e temperatura pode chegar aos 35°C, em Bonito (MS)
EM CIDADE DO MS
Em MS, Idoso de 80 anos morre carbonizado em incêndio de barraco
NÃO RESISTIU
Ciclista morre no HV após ser atropelado por ônibus em Maracaju
TRÁFICO DE DROGAS
Estudante de medicina é preso com caminhonete recheada de droga
LESÃO CORPORAL
Idoso invade casa para agredir vizinha e é expulso com cabo de rodo
BONITO - MS - TURISMO
Bonito (MS) mantém fluxo e supera 2016 em passeios visitados
Acidente
Motorista perde controle de direção, capota carro e morre em MS