Menu
KAGIVA
tera, 13 de novembro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca
Brasil - Greve

Militares são deslocados para delegacias de Fortaleza (CE)

Lojas ficaram fechadas ontem em Fortaleza devido ao medo de arrastão; PM decidiu encerrar greve

4 Jan 2012 - 14h35Por Folha Online

Com o fim da greve da PM e o início da paralisação da Polícia Civil no Ceará, militares do Exército que estavam atuando nas ruas de Fortaleza foram deslocados para delegacias e para a sede da Polícia Civil para "garantir a continuidade dos serviços e a preservação das instalações".

A informação foi dada pelo Comando da 10ª Região Militar do Exército, que assumiu o controle da segurança pública no Estado após o início da greve.

Em nota, o Exército informou que a operação montada para garantir a segurança no Estado só será desmobilizada após ordem da presidente Dilma Rousseff. Segundo a nota, isso só deve acontecer quando o policiamento e as ações de resgate --de responsabilidade dos bombeiros, que também pararam-- estiverem normalizadas.

Mais de mil militares das Forças Armadas e cerca de 250 agentes da Força Nacional de Segurança estão no Estado.

GREVE

A greve da Polícia Militar e dos bombeiros gerou pânico na capital cearense. Ontem (3), estabelecimentos comerciais de Fortaleza foram fechados devido ao temor de arrastões, assim como órgãos públicos, como o Tribunal de Justiça do Ceará.

Em Fortaleza, os boatos de arrastões chegam a indicar locais e horários onde ocorrerão os assaltos. O medo se espalhou pelas lojas, quiosques, barracas na praia e restaurantes. Todos fecharam antes do meio-dia, atrapalhando os planos de turistas que visitam a cidade.

A PM e o Corpo de Bombeiros do Ceará devem retornar ao trabalho hoje após a greve que durou seis dias. A Polícia Civil, no entanto, iniciou ontem uma nova paralisação.

Segundo o Sinpoci (Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará), a categoria quer a redução da carga horária de oito para seis horas diárias, reajuste salarial e o pagamento de um subsídio equivalente a cerca de 60% do valor pago aos delegados de polícia do Estado.

Até as 8h40 desta quarta (horário de Brasília), no entanto, o sindicato ainda não tinha um balanço de adesão a paralisação.

A greve da Polícia Civil é a terceira registrada em menos de um ano. O sindicato da categoria já havia promovido greves em julho e em outubro de 2011.

O acordo com o governo que encerrou a greve da PM e dos bombeiros incluiu um reajuste de 56%, deixando o salário em R$ 2.634, e uma redução na jornada de trabalho de 46 para 40 horas semanais, além da implantação de um auxílio-alimentação de R$ 10 por dia (os policiais militares não recebiam nada até então, só os civis).

Também ficou combinado que nenhum dos policiais ou bombeiros que participaram das paralisações serão punidos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - PONTO FACULTATIVO
Prefeitura terá ponto facultativo nesta sexta-feira (16) em Bonito (MS)
CIDADES
Após 10 anos, mulher ganha direito de ter sobrenome de 2 mães já falecidas
ALERTA
Imunização contra febre amarela deve ser feita de forma antecipada
OPERAÇÕES DA PF NO ESTADO
De quarta a domingo, PRF reforça fiscalização nas rodovias do Estado
EDUCAÇÃO
MS terá Centro Nacional de Mídias para implantação do Novo Ensino Médio
CIDADES
Vencedores do XIII Prêmio de Gestão Pública serão conhecidos no dia 19
ECONOMIA
Bandeira tarifária de energia é amarela em novembro
BONITO - MS - BALNEÁRIO MUNICIPAL
Prefeitura renova permanência de quiosques no Balneário Municipal em Bonito (MS)
CIDADES
Advogada que defenderia traficante Jarvis Pavão é executada em cidade paraguaia na fronteira com MS
CIDADES
Briga por carrinho de compras em supermercado termina com homem perfurado por chave de carro em MS