Menu
sbado, 25 de janeiro de 2020
BANNER ANNA
Busca
BONITO AGUAS DE BONITO

Lei trava instalação de fábrica da Portucel em Mato Grosso do Sul

4 Mar 2011 - 11h35Por Campo Grande News

A legislação brasileira, que impede estrangeiros de possuírem mais de 5 mil hectares de terra, ameaça a instalação de uma fábrica de celulose em Mato Grosso do Sul.

Em reportagem do jornal português “Diário Económico”, o presidente da Portucel (Portugal Celulose), José Honório, informa a interrupção do projeto de instalação da unidade.

Segundo ele, para o projeto avançar, será preciso que a lei seja revista a curto prazo. A indústria de celulose precisa de 200 mil hectares.

“Gostaríamos muito de concretizar um projeto de investimento que totaliza cerca de mais de três milhões de dólares (2,1 milhões de euros) e em que o componente florestal é o princípio de tudo. Isto porque, antes de podermos pensar em produzir celulose ou papel, pensamos primeiro em florestar, em plantar, esperar 10 a 12 anos e então depois iniciar um processo industrial”, afirmou ao jornal português.

De acordo com o presidente da Portucel, a empresa constituiu, em outubro de 2009, uma subsidiária no Brasil e assinou, há mais de um ano, um memorando de entendimento com Mato Grosso do Sul para o desenvolvimento de um projeto florestal.

A situação preocupa o setor industrial. “Defender os interesses da Nação é muito importante, mas proibir um investimento estrangeiro avaliado em 2,1 milhões de euros é um atraso para o desenvolvimento do País e, consequentemente, para o nosso Estado”, salienta o presidente da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), Sérgio Logen.

Longen defende a discussão, em caráter de urgência, da reinterpretação da Lei Federal nº 5.709, de 1971, feita em setembro do ano passado pela corregedoria do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), estabelecendo que empresas brasileiras com capital estrangeiro terão as operações de compra de terras limitadas e até proibidas no Brasil para controlar o avanço estrangeiro sobre o território nacional.

“Também desejamos a discussão sobre os marcos regulatórios para que os investimentos internacionais venham para o País em todas as áreas, principalmente, em obras de infra-estrutura, como a construção de aeroportos, ferrovias, portos”, afirma.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Plástico e até camisetas poderão ser produzidos a partir do milho em Maracaju
POLÍCIA EM MS
Padrasto é preso suspeito de dopar e abusar sexualmente da enteada de 9 anos
ATENTADO
Casa de deputado é atacada com pelo menos 30 tiros de fuzil
OPERAÇÃO LIMPA PÁTIO
Ladrões levam mais de 18 motos de depósitos do Detran em cidades do MS
BONITO - MS - MAIS OBRAS CHEGANDO
Reinaldo Azambuja anuncia cerca de R$ 2 bilhões em obras dia 6 para Bonito (MS)
RIO AQUIDAUANA
Defesa Civil monitora nível de água no Rio Aquidauana e já tem plano de ação em caso de enchente
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo do Estado abre processo seletivo interno para ingresso no curso de formação de sargentos da
BONITO - MS - MARCANDO PRESENÇA
Bonito (MS) participa da maior feira de viagens das Américas, mais de 35 mil operadores qualificados
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Cronograma é mantido e porto será inaugurado em fevereiro
ALERTA GERAL
Estudante leva picada de escorpião na bunda e dedo ao vestir short, 'São 24 horas de dor intensa'