Menu
ITALÍNEA DOURADOS
sexta, 19 de outubro de 2018
KAGIVA
Busca

Juiz manda devolver cargo ao prefeito de Cassilândia

28 Jun 2011 - 12h28Por Cassilândia News

O juiz Plácido de Souza Neto concedeu liminar ao prefeito de Cassilândia Carlos Augusto da Silva (DEM), cassado no dia 22 deste mês pela Câmara Municipal, para ele reassumir o cargo.

O magistrado cessou temporariamente a decisão da Câmara Municipal que empossou o então vice-prefeito Edivaldo Resende.

De acordo com o magistrado, o Judiciário pode intervir para corrigir erros procedimentais ocorrido no processo de cassação, com base no princípio da legalidade.

O juiz entendeu que houve ilegalidade no fato de o presidente da Câmara ter afastado da possibilidade de nomeação para a Comissão Processante alguns vereadores que utilizaram a tribuna para defender ou acusar o prefeito, sem com isso fazer constar em ata quais foram as frases de defesa e acusação ditas.

 

A Câmara Municipal foi notificada para apresentar sua defesa e provas documentais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

IBOPE NO MS - PESQUISA
IBOPE em Mato Grosso do Sul, votos válidos: Azambuja, 53%; Odilon, 47%
BONITO - MS - AÇÕES MEIO AMBIENTE
SEMA distribui frutas produzidas no Viveiro de Mudas Nativas de Bonito (MS)
BONITO - MS - REFORMA
Prefeitura reforma instalações do Programa Bolsa Família que atende 650 beneficiários em Bonito (MS)
ELEIÇÕES 2018 - FÁBRICA DE FAKE NEWS
Polícia e Justiça 'explodem' fábrica de fake news de coordenador de Odilon
TRAGÉDIA NAS ESTRADAS DO MS
Empresário e filho de 1 ano que morreram em acidente, retornavam de Bonito (MS)
BONITO - MS - ESPORTE -
Bonito (MS) recebe estadual de beach tennis neste fim de semana
TIRO ACIDENTAL
Pai foge após matar filho de 10 anos com tiro acidental no ouvido em cidade do MS
BONITO - JARDIM - BODOQUENA E BELA VISTA
BONITO e mais 3 cidades recebem auxilio da Agesul na recuperação de estradas devido as chuvas
PESQUISA NO MS
Em nova pesquisa, Reinaldo tem 54.21% e Juiz Odilon 45.79%, VEJA NÚMEROS
DATAFOLHA - PRESIDENTE
Datafolha para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%