Menu
ASSOMASUL MAIO 2019
segunda, 27 de maio de 2019
Busca
ÁGUAS DE BONITO

Jucá pede a Dilma seis meses para decidir sobre Código Florestal

2 Jun 2011 - 10h56Por G1

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou nesta quarta-feira (1º) que pediu a presidente Dilma Rousseff um prazo de seis meses para que o Senado decida sobre o projeto que modifica o Código Florestal. Jucá quer que Dilma adie pelo mesmo período a data de início da cobrança de multas de produtores rurais que desmataram áreas de preservação até 2008.

O decreto 7.029 de dezembro de 2009, assinado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, estabelece a data de 11 de junho de 2011 para o início das punições.

“Eu pedi a ela seis meses para o Senado ter uma posição sobre o projeto do código. Eu quero justamente a porrogação do decreto porque até o dia 11 de junho não será possível uma solução sobre o assunto no Senado”, afirmou o senador.

Segundo Jucá, Dilma não respondeu se aceitaria prorrogar os efeitos do decreto e disse que tomaria uma decisão nos próximos dias. “Precisamos de tempo para coletar informações e votar o código”, afirmou o senador. Jucá se reuniu com Dilma na tarde desta quarta em almoço no Palácio da Alvorada para a bancada do PMDB no Senado.

Após a derrota do governo na votação do Código Florestal na Câmara, a presidente resolveu entrar diretamente nas negociações sobre o texto. Durante a tramitação do projeto na Câmara, o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, coordenou as negociações com parlamentares e o relator da matéria, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

O governo quer reverter no Senado três trechos do texto aprovado na Câmara: anistia a pequenos produtores que desmataram áreas de reserva legal, permissão ampla de plantio em áreas de preservação permanente (APPs) e autorização para que estados e municípios regulamentem a produção nessas áreas.

Em entrevista após almoço com a presidente Dilma, o presidente interino do PMDB, Valdir Raupp (RO), afirmou que há espaço no Senado para reavaliar o trecho do novo código que anistia desmatadores.

“Um dos pontos mais polêmicos é a anistia e acho que dá para voltar a discutir isso no Senado. Sempre em conjunto com a Câmara. Há espaço para discutir isso ”, afirmou. Segundo Raupp, a estratégia será discutir mudanças em conjunto com os deputados, para evitar que o projeto votado no Senado seja barrado ao ser analisando novamente na Câmara.

“O PMDB se for relator na Comissão de Constituição e Justiça e Comissão da Agricultura vai tratar desse assunto em conjunto com a Câmara, para que as mudanças feitas no Senado não tenham que voltar a ser discutidas na Câmara”, disse.

De acordo com o senador, Dilma se disse preocupada com o aumento do desmatamento.“Ela disse que não vai permitir o avanço do desmatamento, nem nós também”, afirmou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA NAS ESTRADAS
Adolescente de 14 anos morre em grave acidente com três veículos
BONITO - MS - VETO NA CÂMARA
Prefeito se manifesta a respeito de veto da Câmara em Bonito (MS)
CIDADES
Miss de MS vai representar o Brasil em concurso internacional
COMPORTAMENTO
Tribunal de Justiça lança campanha contra o feminicídio nesta segunda-feira
TURISMO
Governo irá premiar quem atua promovendo o turismo em Mato Grosso do Sul
POLÍCIA
Ladrões de gado que atacavam fazendas de MS são presos em flagrante
GERAL
Leitura que liberta: presos usam tempo ocioso do cárcere para ler livros e diminuir pena
EM FLAGRANTE
Cinco homens são presos com 19 cães de caça em MS
ASSASSINATO EM MS
Jovem morre com facada no peito durante festa em cidade do MS
BONITO - MS - FIB 2019
Festival de Inverno levará espetáculos para assentamentos e distritos de Bonito (MS)