Menu
ITALÍNEA DOURADOS
quarta, 18 de julho de 2018
KAGIVA
Busca

Iriny Lopes defende lista fechada na eleição de deputados e vereadores

26 Mai 2011 - 17h29Por Agência Brasil

A ministra-chefe da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), Iriny Lopes, defende que a reforma política estabeleça o voto em lista fechada para a escolha de vereadores, deputados estaduais, deputados distritais e deputados federais.

Ela é a favor também que os partidos ou coligações tenham o mesmo número de candidatas e candidatos, que poderão ser eleitos conforme ordem alternada por sexo. O número de pessoas eleitas dependerá do total de votos obtidos pelo partido ou coligação.

“A reforma é fundamental para modernização do país”, avalia ao ponderar que, apesar de o país ser governado por uma mulher, a repartição do poder é desigual. “A eleição de Dilma [Rousseff] não criou um efeito cascata”, disse, durante o programa Bom Dia, Ministro, produzido pela EBC Serviços em parceria com a Secretaria de Comunicação da Presidência da República, se referindo à eleição de poucas governadoras, senadoras e deputadas.

Atualmente, há no Congresso Nacional apenas 44 deputadas (menos de 9% da composição da Câmara dos Deputados). As mulheres representam 52% da população e formam 51% do eleitorado brasileiro. Oito partidos com representação no Congresso não têm nenhuma parlamentar eleita.

Para Iriny Lopes, que é deputada licenciada (PT-ES), os partidos descumprem a cota de 30% de candidaturas femininas e também não respeitam regras da legislação eleitoral, por exemplo, quanto à destinação do percentual de participação das mulheres nas propagandas eleitorais gratuitas no rádio e na TV.

Durante o programa, a ministra relatou que na campanha do ano passado reclamou do descumprimento da lei e teve como resposta do seu próprio partido que a “coligação chiou”. Ela, então, recorreu ao Tribunal Regional Eleitoral que respondeu por escrito que o tempo seria igual para todos os candidatos, independentemente do sexo.

A reforma política começou a ser discutida no governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e desde então resultou em pequenas mudanças da legislação eleitoral. Caso o Congresso Nacional não faça a reforma no começo dessa legislatura, Iriny Lopes defende que a bancada feminina se articule e, por meio de emenda constitucional, crie instrumentos legais que assegurem a maior participação das mulheres nos parlamentos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
TSE vai fiscalizar uso de dinheiro vivo nas eleições
SAÚDE
Pacientes do SUS vão receber notificações de consulta pelo celular
BONITO - MS - AÇÃO DA PMA
PMA autua fazendeiro em R$ 47 mil por desmatamento ilegal de cinco áreas nativas em Bonito
BONITO - MS - DETERMINAÇÃO DA JUSTIÇA
Justiça determina paralisação do loteamento Rio Mimoso em Bonito (MS)
BONITO - MS
Licença para poda ou retirada de árvores é obrigatória
BONITO - MS
Obras do Corpo de Bombeiros devem começar em setembro em Bonito
BONITO - MS
Confira a programação completa do Festival de Inverno de Bonito 2018
BONITO - MS
Agehab e prefeitura entregam Residencial Lago Azul/Etapa I em Bonito
PANTANAL
Cheia recua e parte do gado volta às áreas altas até o fim deste mês
EDUCAÇÃO
IFMS divulga resultado de seleção com 71 vagas para cursos de graduação