Menu
KAGIVA
terÁa, 16 de outubro de 2018
ITAL√ćNEA DOURADOS
Busca

Hackers da LulzSec Brasil vazam dados do DOI-CODI e da Guerrilha do Araguaia

27 Jun 2011 - 10h14

Após as invasões de sábado à noite, hackers da LulzSec Brasil divulgaram uma série de documentos que eles teriam conseguido vazar de órgãos públicos. Os arquivos são do Supremo Tribunal Federal (STJ), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul (MPF-RS).

Guiado pela ideologia de livre-disseminação de informações sigilosas, o grupo divulgou ações referentes a pedidos de aberturas de arquivo do Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-CODI) e a quebra de sigilo dos militares envolvidos na Guerrilha do Araguaia. O material vazado também revela contra-cheques de funcionários e algumas informações pessoais.

Apesar da tentativa de revelar dados "reveladores", os arquivos referentes à guerrilha e ao DOI-CODI não são sequer confidenciais.

Imagem de divulgação revela ameaça do grupo: "Nós somos anônimos, nós somos legião, nós nunca perdoamos, nós nunca esquecemos. Nos espere". Além dos ataques a órgãos públicos, a LulzSec também divulgou dados pessoais dos governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), do Paraná, Beto Richa (PSDB), e dos deputados federais Marcos Medrado (PDT/BA), Pepe Vargas (PT/RS) e Assis Mello (PCdoB/RS). Na página disponibilizada pelos hackers, eles revelam supostos dados pessoais dos políticos, como CPFs, números de identidade, endereços e telefones.

Ainda não há resposta dos órgãos oficiais e dos políticos a respeito da veracidade dos dados e da gravidade das invasões. Até o começo da tarde deste domingo, os sites dos Ministérios da Defesa, da Saúde e do Governo do Estado do Pará continuavam fora do ar. A série de ataques da LulzSec Brasil começou logo após a matriz internacional do grupo anunciar o fim das suas atividades.

Ataques à midia

A LulzSec também divulgou, durante a madrugada de sábado, dados pessoais de funcionários de órgãos da mídia. Os alvos dos ataques foram os sites do Diário de São Paulo e do Canal Paraíba. Os hackers disponibilizaram, através do Twitter, supostas senhas e endereços de e-mail dos funcionários das duas empresas.

Deixe seu Coment√°rio

Leia Também

DESAPARECEU
Servidora p√ļblica com depress√£o desaparece e preocupa fam√≠lia
PESQUISA IBOPE PARA PRESIDENTE
IBOPE: Para presidente, votos v√°lidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%
BONITO - MS - RIO MIRANDA
Em Bonito, Rio Miranda volta ao n√≠vel normal e Defesa Civil monitora as regi√Ķes mais afetadas
MUNDO DA TV
Com paralisia, Liminha segue internado e sem previs√£o de alta
ENTRETENIMENTO
Na reta final de ‚ÄúSol‚ÄĚ, Remy descobrir√° que √© tio da Karola
ANIMAIS COM VONTADE DE VIVER
Cachorro com c√Ęncer anda em bal√£o, toma sorvete e acampa
A√á√ēES DO GOVENO DO MS
Caravana da Sa√ļde salvou e continuar√° salvando vidas, diz Reinaldo Azambuja
VENDAVAL NO MS
Vendaval destelha barracão e danifica máquinas agrícolas em fazenda
OPORTUNIDADES NO MS
Concursos em MS oferecem mais de 1,9 mil vagas e salários até R$ 8,6 mil
ELEI√á√ēES 2018 - ARTICULA√á√ēES
Odilon Jr. visitou Puccinelli na pris√£o antes de apoio do MDB