Menu
KAGIVA
quarta, 17 de outubro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Governo quer novas políticas públicas para evitar que classe C volte à pobreza

8 Ago 2011 - 14h43Por Agência Brasil

A Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República e o Ministério da Fazenda promovem hoje  (8), em Brasília, o seminário A Média Faz a Diferença: Origem e Desafios Sobre a Nova Classe Média Brasileira. O evento, que será aberto pela presidenta Dilma Rousseff, inicia o debate dentro do governo a respeito de uma “nova geração de políticas públicas”, explicou à Agência Brasil o secretário executivo da SAE, Roger Leal.

A preocupação é formular políticas sociais para o contingente de 31 milhões de pessoas que entraram na classe C na última década que sirvam como “trava” para que esse contingente não regresse à condição social anterior. Segundo Leal, “é primordial” compreender quem são as pessoas que emergiram; como foi o processo de ascensão; quais as demandas da população por serviços públicos; e entender o que diferencia esse contingente daqueles que não conseguiram melhorar o padrão de vida.

“Nós temos uma sociedade diferente, tivemos uma conquista. O que devemos fazer para preservar essa conquista? Como consolidá-la para minimizar os riscos de que possa haver retrocesso?”, pergunta o secretário-executivo ao lembrar que a ascensão gerou impacto no mercado de consumo e nos três níveis de governo (municipal, estadual e federal).

A avaliação do governo é de que a nova classe social tem um papel central na economia nacional. A ampliação do estrato e do seu poder de consumo é considerada a força motriz do mercado interno, um fator que aumentou de importância desde o estopim da crise econômica internacional em 2008.

O incremento da classe média (hoje equivalente a mais da metade da população, 95 milhões de pessoas) é considerado efeito das políticas sociais distributivas e das políticas econômicas anticíclicas do governo anterior.

Para o ministro-chefe da SAE, Moreira Franco, o crescimento da classe média está intimamente ligado à valorização real, do salário mínimo e ao aumento da oferta de emprego, conforme salientou há cerca de 15 dias ao anunciar a realização do seminário de amanhã.

O evento contará com a participação dos principais especialistas em políticas sociais como Ricardo Paes de Barros (atual secretário de Ações Estratégicas); Marcelo Neri (Fundação Getulio Vargas); e Márcio Pochmann (atual presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea). Esses especialistas têm sido ouvidos pela presidenta Dilma desde a preparação do governo (a agenda social foi o primeiro assunto discutido pela equipe de transição no ano passado)

Além desses especialistas, o seminário terá como convidados nomes do mercado financeiro (como Luiz Awazu Pereira da Silva, do Banco Central; e Marcos Lisboa, do Itaú-Unibanco); formuladores de políticas econômicas (Marcio Hollanda de Brito, do Ministério da Fazenda); pesquisadores de consumo e opinião (como Renato Meirelles, do Data Popular); professores de economia (como Eduardo Giannetti, do Instituto de Ensino e Pesquisa – Insper) e palestrantes de organizações multilaterais (como Mario Pezzini, da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE).

Deixe seu Comentário

Leia Também

ENTRETENIMENTO
FAZENDA 10: Dívida de Perlla com ex-empresário ultrapassa R$ 1 milhão
A FAZENDA 10 - ENTRETENIMENTO
'Vaza' passado cabeludo de Fernanda Lacerda e Léo Stronda fora da Fazenda
A FAZENDA 10 - FOGO NO FENO
Mulher de Rafael Ilha detona Gabi Prado e dispara contra peoa: 'Deve sofrer de alguma doença'
RETA FINAL - NOVELA DA GLOBO
Beto confronta Karola: 'Você roubou a vida de outra mulher' em Segundo Sol
OPERAÇÃO DA POLÍCIA FEDERAL
Temer recebeu R$ 5,9 mi em propinas do setor portuário, diz PF
BONITO - MS - RESULTADO DO CONCURSO
Confira os aprovados no concurso público da Câmara em BONITO (MS)
AÇÕES DO GOVENO DO MS
Em quatro anos, governo de MS investe R$ 265 milhões em Corumbá
NA REGIÃO DE BONITO
Motorista morre após caminhão cair de serra na MS-382 na região de Bonito (MS)
ESPORTES
Sete atletas representam MS no Brasileiro de Futebol de Mesa
EDUCAÇÃO
Horário de verão vai começar no mesmo dia da primeira prova do Enem