Menu
ASSOMASUL MAIO 2019
sbado, 25 de maio de 2019
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO

Governo lança programa para inserir 100 mil mulheres no mercado de trabalho

12 Ago 2011 - 07h18Por Agência Brasil

O governo lançou ontem (11) o programa Mulheres Mil que pretende formar e inserir 100 mil mulheres no mercado de trabalho até 2014. O Mulheres Mil, que faz parte do Plano Brasil sem Miséria, quer dar acesso à educação profissional a mulheres em situação de vulnerabilidade social, como mães solteiras, ou chefes de família, que não tiveram oportunidade de estudar e nem de ser inseridas no mercado formal. O programa é executado em parceria pelos ministérios da Educação e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e pelas secretarias de Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres.

O Mulheres Mil foi implantado como projeto piloto em 2007, em parceria com universidades canadenses. Por intermédio de 13 institutos federais de educação, ciência e tecnologia, o projeto atendeu mil mulheres em 13 estados do Norte e Nordeste. Agora, será efetivado em todo o país e, ainda neste ano, 100 campi da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica deverão beneficiar 10 mil mulheres com a aplicação do programa.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse que o programa Mulheres Mil é uma ação do ministério que pretende cumprir com o desafio proposto pelo atual governo, o da erradicação da miséria. “Todas as secretarias do Ministério da Educação estão mobilizadas com o Plano Brasil sem Miséria”.

Presente no lançamento do programa, a secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Iriny Lopes, ressaltou a importância da capacitação. “O plano de enfrentamento à miséria identificou 16,2 milhões de pessoas que precisavam de um programa voltado para elas. A maioria dessas pessoas é composta por mulheres, como chefes de família, negras e aquelas em situação de maior vulnerabilidade. Então, o Mulheres Mil dará capacitação para que elas possam entrar no mercado de trabalho”.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, explicou a importância do programa. “No Plano Brasil sem Miséria, nós não queremos só levar renda para as famílias, mas também garantir inclusão produtiva e acesso a serviços públicos. O Mulheres Mil vai ser estratégico, qualificando e formando 100 mil mulheres, melhorando a condição de conhecimento e de qualificação profissional delas, para que assim, consigam ter acesso a vagas de emprego”.

Também esteve presente no evento Ilda Maria Vital de Oliveira, uma das alunas formadas pelo projeto piloto do programa. “Graças ao projeto, eu tive a oportunidade de ter uma profissão e começar a trabalhar. Em 2008, quando comecei o curso, estava desempregada. Depois do curso de camareira, consegui emprego em um hotel em Fortaleza e estou lá há dois anos. O curso mudou a minha vida e a minha família”, contou Ilda.
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

FRIO CONTINUA NO MS
Temperaturas podem variar entre 4°C a 32°C neste fim de semana em Mato Grosso do Sul
FEMINICÍDIO
Mulher é morta com 75 facadas pelo ex-marido após 25 anos de casamento
BONITO - MS - AÇÃO POLICIAL
Homem agride mulher e enteado e é preso pela Polícia Militar de Bonito (MS)
BONITO - MS - NA CÂMARA
Vereador convida população bonitense para a primeira votação do projeto jovem aprendiz nesta segunda
BONITO - MS - VALORIZANDO A ZONA RURAL
Valorizando a zona rural, prefeitura conclui reforma de ponte na fazenda Furna Dourada em Bonito
TODO CUIDADO É POUCO
Homem morre quando mexia no celular na Capital do MS
MOEDAS DE GORJETAS
Mulher compra carro com R$ 76 mi de moedas que juntou por 10 anos
Bonito
12 produtores vão arcar com reparação de áreas para resolver turbidez de rio de Jardim e Bonito (MS)
CRISE NO BRASIL
Governo de MS só tem garantia de pagar salário em dia até junho
OPORTUNIDADE NO MS
Em MS, Prefeitura abre inscrições para contratação de auxiliares de enfermagem