Menu
ASSOMASUL MARÇO
tera, 23 de abril de 2019
mutantes
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO

Governo estuda criar faixas na tabela do IR para atender centrais

11 Mar 2011 - 16h20Por Folha.com

O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência) afirmou na tarde desta sexta-feira (11) que o governo estuda criar faixas intermediárias na tabela do Imposto de Renda, atendendo a uma demanda das centrais sindicais, que se reuniram hoje com a presidente Dilma Rousseff.

O objetivo, segundo o ministro, é garantir maior "progressividade". De acordo com ele, a presidente "vê com muita simpatia" essa mudança. Hoje, são cinco as faixas de contribuição. Carvalho, no entanto, não disse qual o número de novas faixas que estão em análise, mas garantiu que o teto de recolhimento do IR seguirá em 27,5%.

"Ela [Dilma] acolheu a possibilidade, em estudo, de rediscussão das faixas de inflação, de criar outras faixas da tabela do Imposto de Renda", disse Carvalho ao comentar a reunião com as centrais. "Ela disse que via com muita simpatia essa possibilidade de estabelecer maior progressividade na tabela."

O ministro afirmou que "está muito bem encaminhada" a definição de uma política de longo prazo para a correção da tabela do Imposto de Renda.

Segundo Carvalho, o acordo ainda não está sacramentado e os detalhes dessa política estão em análise no Ministério da Fazenda e deverão ser definidos nos próximos dias.

Ainda assim, afirmou que o índice respeitará o centro da meta de inflação, hoje em 4,5%. A medida é bem recebida pelas centrais, que queriam, num primeiro momento, um reajuste de 6,47% na tabela já este ano, mas aceitam como alternativa a definição de uma política de reajuste de longo prazo.

"Ela não assumiu um compromisso na hora de que vai fazer por quatro anos, mas prometeu um estudo muito carinhoso dessa questão, dizendo que é provável que o governo possa atender. Ela só pediu um tempo curto para poder fazer consultas à Fazenda e ela mesmo tomar essa decisão. Mas está muito bem encaminhada essa questão", afirmou o ministro.

O governo deverá colocar no mesmo instrumento legal (ainda não está definido se será por meio de medida provisória ou projeto de lei) a correção de 4,5% na tabela do IR este ano e a política de reajuste pelos próximos anos do governo Dilma.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CIDADES
Dias Toffoli chama para conciliação com indígenas e revolta sitiantes
POLÍTICA
Deputado quer proibir sátira de imagens cristãs em manifestações de MS
COTIDIANO
Amigos lamentam falecimento de Rubens Catenacci, referência na pecuária brasileira
TURISMO
Boletim comparativo de alta temporada do ObservaturMS mostra crescimento no fluxo turístico
GERAL
MPT investiga demissão de funcionários da Mabel sem aviso prévio em MS
EDUCAÇÃO
Governo de MS divulga inscrições para Vale Universidade Indígena
MEIO AMBIENTE
Desmatamento prossegue em Rio Verde, mas com nova faixa de preservação
POLÍCIA
Traficante foge e abandona picape com mais de 800 kg de maconha
POLÍTICA
Prefeita de Miranda continua no comando até ser notificada de cassação
EMPREGOS E CONCURSOS
Prefeitura abre seletiva com 34 vagas e salários de até R$ 1,7 mil em MS