Menu
ITALÍNEA DOURADOS
quinta, 16 de agosto de 2018
KAGIVA
Busca

Governo do Rio de Janeiro destinará R$ 60 milhões à cadeia produtiva do leite

26 Jul 2011 - 14h32Por Agência Brasil

A cadeia produtiva do leite no Rio de Janeiro vai receber, nos próximos meses, investimentos no valor de R$ 60 milhões. Os recursos, que serão liberados pelo governo do estado, são decorrentes de créditos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). De acordo com o secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo, o investimento será destinado à modernização de cooperativas, associações de produtores e indústrias do setor.

“O nosso objetivo é permitir a modernização da cadeia produtiva. Esperamos que com os recursos os produtores possam comprar equipamentos para ordenha e inseminação artificial, tanques de resfriamento, entre outras aquisições que garantam a melhoria das condições de vida no meio rural”, disse. “É um incentivo para que ele também aumente sua produtividade, usando menos os recursos naturais, como a água e o solo, e ampliando a sustentabilidade do setor”, completou.

Segundo o secretário, a medida faz parte de um programa de incentivos do governo para aumentar a produção leiteira no estado e alcançar, até 2015, a marca de 1 bilhão de litros de leite por ano. Atualmente, são produzidos cerca de 600 milhões de litros por ano, principalmente na região noroeste do estado.

“Estamos investindo para que o Rio de Janeiro volte a ocupar uma posição entre os dez maiores produtores de leite do país. Atualmente, o estado aparece na 17ª posição e conta com 22 mil produtores. Esperamos que até 2015 tenham sido criados mais 10 mil empregos no campo”, disse.

Para o presidente da Federação de Agricultura do estado, Rodolfo Tavares, o incentivo vai ajudar a impulsionar o setor. “A produção no estado só atende a cerca de 25% da demanda no mercado fluminense, o que comprova que ainda temos muito espaço para crescer. Com a capitalização das cooperativas e associações de produtores rurais será possível ampliar essa marca.”

Já a pequena pecuarista Penha Tavares, presidente de uma associação de produtores em Cambuci, no noroeste do estado, disse que o maior problema enfrentado pelos proprietários rurais é o preço pago a eles pelas indústrias do setor. A pecuarista informou que comercializa a produção de sua propriedade, estimada em 250 mil litros de leite mensais, por R$ 0,75 o litro.

“Tudo sobe, menos o valor que recebemos pela nossa produção. É muito caro manter a propriedade porque temos que pagar os funcionários, comprar ração e outros insumos

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - ATENÇÃO MÃES
Dia 'D' contra poliomielite e sarampo será neste sábado em Bonito (MS)
BONITO - MS - NAS ESTRADA VICINAIS
Agesul e prefeitura recuperam 120 Km de estradas vicinais em Bonito (MS)
BONITO - MS
Incêndio de grandes proporções destrói imóvel do Instituto Internacional Visão de Vida de Bonito
ELEIÇOES 2018 NO ESTADO
Renúncia de Chaves abre crise e tensão na campanha de Odilon
COMPORTAMENTO
Colégio Militar pula página com foto de gays para não falar de homossexualidade
CULTURA
Aniversário de 100 anos da Morada dos Baís terá concerto, espetáculo e memórias
ESPORTE
Lutador de MS é convocado para Mundial em outubro na Turquia
POLÍTICA
Com fim da hegemonia da TV, internet pode ser decisiva nestas eleições
POLÍTICA
TSE registra mais de 23 mil candidatos às eleições de outubro
MEIO AMBIENTE - JARDIM E BONITO
A condenação do rio da Prata, essencial para a biodiversidade em Jardim e Bonito (MS)