Menu
KAGIVA
sexta, 19 de outubro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Genes ligados ao transtorno de atenção ainda são mistério

6 Set 2011 - 15h32

Os geneticistas já sabem que o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade), doença que atinge cerca de 5% das crianças e adolescentes do mundo, está relacionado com a manifestação de alguns genes que atuam na "comunicação" entre os neurônios.

Mas os fatores que influenciam essa manifestação genética ainda é uma incógnita e precisa ser mais bem estudada.

"Desde 1995 temos estudos genéticos sobre TDAH. Mas os resultados ainda são modestos", disse a geneticista Mara Helena Hutz durante a 57ª reunião anual da SBG (Sociedade Brasileira de Genética).

Sabe-se, por exemplo, que a incidência de TDAH é maior em meninos (aproximadamente três meninos para cada menina), em gêmeos monozigotos (que dividiram o mesmo óvulo) e mais comum crianças cujos pais tiveram a doença.

"Essa é a doença psiquiátrica com maior herdabilidade já descrita", diz Hutz.

Além disso, pesquisas de imagens mostram que crianças com TDAH têm o lobo frontal (parte do cérebro ligado, por exemplo, ao desenvolvimento da personalidade) cerca de 4% menor do que as crianças que não apresentam a doença.

Porém, não existe até hoje nenhum biomarcador, ou seja, uma medida, que defina a doença.

Hoje, o diagnóstico de TDAH é feito apenas por análise clínica,como por meio de análise de questionários preenchidos pelos pacientes.

FATORES AMBIENTAIS

Alguns estudos já indicaram que a manifestação da TDAH pode ser condicionada por fatores sociais e ambientais.

Por exemplo, o tabagismo intensivo na gestação, mães que fumam mais de dez cigarros por dia,  pode aumentar em até três vezes a incidência de TDAH nos bebês.

"Isso não é determinismo genético, mas é estudo de risco. Resta saber por que alguns filhos de fumantes desenvolvem a doença e outros não", ponderou Hutz.

De acordo com a geneticista, o TDAH, que é caracterizado principalmente por déficit de atenção e hiperatividade contínuos (por mais de seis meses), costuma estar associado a outros transtornos psiquiátricos.

A ansiedade, por exemplo, aparece em 50% das crianças com TDAH.

Mas essa relação entre as patologias psiquiátricas também não está clara para os cientistas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

IBOPE NO MS - PESQUISA
IBOPE em Mato Grosso do Sul, votos válidos: Azambuja, 53%; Odilon, 47%
BONITO - MS - AÇÕES MEIO AMBIENTE
SEMA distribui frutas produzidas no Viveiro de Mudas Nativas de Bonito (MS)
BONITO - MS - REFORMA
Prefeitura reforma instalações do Programa Bolsa Família que atende 650 beneficiários em Bonito (MS)
ELEIÇÕES 2018 - FÁBRICA DE FAKE NEWS
Polícia e Justiça 'explodem' fábrica de fake news de coordenador de Odilon
TRAGÉDIA NAS ESTRADAS DO MS
Empresário e filho de 1 ano que morreram em acidente, retornavam de Bonito (MS)
BONITO - MS - ESPORTE -
Bonito (MS) recebe estadual de beach tennis neste fim de semana
TIRO ACIDENTAL
Pai foge após matar filho de 10 anos com tiro acidental no ouvido em cidade do MS
BONITO - JARDIM - BODOQUENA E BELA VISTA
BONITO e mais 3 cidades recebem auxilio da Agesul na recuperação de estradas devido as chuvas
PESQUISA NO MS
Em nova pesquisa, Reinaldo tem 54.21% e Juiz Odilon 45.79%, VEJA NÚMEROS
DATAFOLHA - PRESIDENTE
Datafolha para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%