Menu
KAGIVA
quarta, 23 de janeiro de 2019
ITALÍNEA DOURADOS
Busca
UNIPAR_PC

Foco de febre aftosa no Paraguai preocupa pecuaristas da fronteira em MS

21 Set 2011 - 09h34Por Alan de F. Brito, de Dourados

Após a confirmação neste domingo (18) um foco de febre aftosa no Departamiento de San Pedro, no Paraguai. O ‘Estado’, fica a 130 km de Coronel Sapucaia. Após a confirmação o estado de MS decidiu bloquear a fronteira com o país vizinho. Ao todo, a fronteira tem uma extensão de 600 km, com 11 municípios no lado brasileiro.

A Superintendência Federal de Agricultura (SFA) deve dobrar o número de equipes volantes, de 10 para 20 equipes. Além disso a entrada de carne e subprodutos bovinos paraguaios foram proibidos pela Secretaria de Defesa Agropecuária, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

O governo do Paraguai notificou a Organização Mundial de Sanidade Animal (OIE) ainda no domingo. A rapidez com que o Paraguai detectou o foco e informou a OIE ajudou o governo do Estado a tomar providências rápidas.

O presidente do Sindicato Rural de Ponta Porã, o pecuarista Jean Paes, espera que o Governo Paraguaio consiga isolar rapidamente o foco de febre aftosa. Ele afirma que há sim a preocupação de que o foco se alastre, devido a proximidade com o Brasil, porém ressalta que o Paraguai tendo tomado medidas rápidas, ajudou no alerta ao governo do Estado.

Paes afirma ainda que nos últimos anos, o transporte ilegal de animais pela fronteira tem sido muito pequeno ou nenhum, devido a conscientização dos produtores da região. “É ruim pra América do Sul como um todo, Os países são muito próximos, o que deixa todos em alerta”, afirmou o pecuarista.

Segundo informações, o presidente da Associação Rural do Paraguai no Departamento de San Pedro, Silfrido Baumgarten, dono da fazenda onde foi detectado foco de febre aftosa, disse que não pode ser responsabilizado porque cumpriu todas as etapas de vacinação do seu rebanho.  

Segundo ele, o prejuízo com o sacrifício de aproximadamente 800 animais será de US 380 mil. Já o governo do Paraguai, em razão da suspensão das exportações, deve amargar prejuízos de R$ 300 milhões. Silfrido Baumgarten quer que o Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (Senacsa) investigue a origem do vírus que contaminou o gado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EM MS
Lutador tem liberdade negada e Justiça marca 1ª audiência de madrasta que pisoteou bebê até a morte
AGENDA
Carreta da Justiça atende moradores de Paraíso das Águas até sexta-feira
POLÍCIA
Suspeito de 58 golpes, preso 'artista' volta a agir de dentro da cadeia
POLÍCIA
Em menos de uma semana PM apreende mais de uma tonelada de drogas e recupera 37 veículos
ENTRETENIMENTO
BBB19: Vanderson sai da casa para prestar depoimento e é desclassificado
ECONOMIA
Trocar ar-condicionado por ventilador rende economia de até 20% na conta
POLÍCIA
PM apreende mais de meia tonelada de maconha e recupera Civic furtado em Nioaque
EMPREGOS E CONCURSOS
Publicada relação de profissionais cadastrados para a função de professor temporário
CIDADES
Morre o ator Caio Junqueira, uma semana após acidente de carro no Aterro
BONITO - MS
Passeios em Bonito são finalistas de prêmio internacional de sustentabilidade