Menu
mutantes
tera, 19 de maro de 2019
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Festival de Inverno de Bonito: Zé Pretim apresenta o show Pantaneiro Blues

8 Jul 2011 - 16h17Por MS Notícias/com asessoria

A 12ª edição do Festival de Inverno de Bonito traz o músico Zé Pretim, conhecido como o Blues Man de Mato Grosso do Sul, com o show Pantaneiro Blues. Zé Pretim se apresenta no dia 30 de julho, às 19 horas, no Palco Fala Bonito. No repertório, clássicos da música regional e sertaneja transformados em ritmo de blues.

José Geraldo Rodrigues, o Zé Pretim, escolheu o blues por ser uma música com muito sentimento e que traz muita paz. “Tenho que representar a minha cor, demonstrar a minha origem, e a gente tem que mostrar o que a gente acha bonito. O blues não chama para a violência, mostra um sentimento de irmãos de verdade. É um estilo diferente, de muita qualidade”, afirma.

Zé Pretim nasceu em 16 de maio de 1954, em Inhapim, Minas Gerais. Desde pequeno queria ser artista. “É uma coisa, um dom que Deus me deu”, afirma. Aos 8 anos, como ele conta, ficava ouvindo os músicos tocarem nas festas e quermesses em sua cidade natal, para ver se conseguia aprender alguma coisa. Seu primeiro instrumento foi um velho cavaquinho que sua mãe comprou por cinco quilos de feijão. "Eu tocava escondido do meu pai, pois tinha medo que ele jogasse fora meu cavaquinho. Ele falava que música era profissão de vagabundo”, lembra.

Mas a música e o talento modificaram a opinião do pai. Começou com a música sertaneja, por causa da influência da família. “Eu formava uma dupla com meu falecido irmão, Juvenal, que fazia a segunda voz”. Mais tarde, em 1973, Zé Pretim mudou-se para Mato Grosso do Sul, em busca de formação musical. “Sempre fui autodidata. Nunca fiz curso de teoria musical. Aqui conheci muitos bons músicos, como Miguelito, o saxofonista Agapito, François, o guitarrista Antonio Mario, Geraldo Espíndola, Geraldo Roca, Jerry Espíndola. Com eles fui me desenvolvendo, e graças a eles conheci a música de Jimmy Hendrix, George Benson, Santana, Janis Joplin, Deep Purple.”

Em 1975 passou a integrar a banda Zutrik, que tocava no Rádio Clube. Zé Pretim era guitarrista, baterista e contrabaixista da banda. Foi quando conheceu o baterista Bosco, que hoje integra o Bando do Velho Jack. “Levei o Bosco para a banda Zutrik e depois formamos uma banda própria, chamada Euphoria, que tocava rock, blues, MPB”.

Depois de passar quatro meses em São Luiz do Maranhão, foi para Belém do Pará, onde morou por seis anos. “Eu tocava na noite, nos bares, tocava nos garimpos nas cidades do interior do Pará”. Cuiabá foi sua nova parada, onde morou por 12 anos. “Tocava guitarra e teclado num bar chamado ‘Tom Copinho’”.

Seguiu para Rondonópolis, onde conheceu sua companheira Marilene, e com ela teve seu único filho, Geraldo Miguel, hoje com 13 anos. Geraldo também tem aptidão para a música, mas o pai quer que ele estude primeiro. “Ele tem muita facilidade para aprender, pega rápido, mas não quero que ele comece tão cedo como eu comecei. Primeiro tem que estudar, tem que ter formação.”

Depois de morar em Rondonópolis, veio novamente para Campo Grande e passou a tocar no “Antigamente”. O músico tem três CDs gravados: “Zé Pretim em Primavera”, que ele classifica como romântico, “Zé Pretim Blues Show” e “Blues Pantaneiro”. Os dois primeiros foram gravados em Rondônia, e o último, em Mato Grosso do Sul. “No ‘Blues Pantaneiro’ gravei ‘Chico Mineiro’ em ritmo de blues, gravei duas composições do Zé Geral, e o restante são todas composições próprias”.

Em dezembro de 2005, mais especificamente no dia 15, como ele lembra, foi entrevistado no Programa do Jô. “Minha participação no Jô Soares foi graças à jornalista Mariana Godoy, do Jornal Hoje. No jornal de sábado tinha um bloco chamado ‘Banda de Garagem”. Ela viu uma performance minha em Rondonópolis, no Novotel, gostou muito e disse que ia falar sobre mim ao Jô.”

Multi-instrumentista, Zé Pretim toca cavaquinho, teclado, violão, um pouco de viola, guitarra, bateria e contrabaixo. “Quando eu estou bravo, nervoso, pego o violão, a guitarra, e toco blues. Aí eu vou me acalmando.”

Zé Pretim afirma adorar Campo Grande, a cidade para onde sua família se mudou para ficar perto dele. Hoje toca habitualmente no Barbaquá, Bar Fly, Bodega, Conveniência 24 horas do bairro Tiradentes (na avenida Marquês de Pombal) e Bar da Madá, aos sábados. Classifica sua música como um “som agradável, com um pouco de qualidade”.

Serviço

Show Pantaneiro Blues, com Zé Pretim
Data: dia 30 de julho
Horário: 19 horas
Local: Palco Fala Bonito

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

MEIO AMBIENTE
Polícia Militar Ambiental de MS completa 32 anos e comemora o fim dos “coureiros”
SAÚDE
Saúde confirma quarta morte por dengue este ano em MS
SABORES
Na concorrência com Tastmade, amigas criam página com receitas para MS
LOTERIA
Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio acumulado de R$ 33 milhões
CIDADES
Município de MS que homenageia herói da Retirada da Laguna completa 81 anos
TURISMO
Sete destinos para se aventurar em Bodoquena no feriadão de abril
BONITO - MS
Prefeitura distribui 400 jogos de carteiras e novos uniformes em Bonito
SAÚDE E ALIMENTAÇÃO
Insônia, falta de ar e angústia: conheça os sintomas da intoxicação causada pelo café
EDUCAÇÃO
Enem 2018: espelhos da redação estão disponíveis para candidatos; veja correção
POLÍCIA
Garoto é investigado em MS após dizer que atiradores de Suzano deviam ter matado policiais