Menu
ITALÍNEA DOURADOS
sexta, 17 de agosto de 2018
KAGIVA
Busca

Famílias mantêm otimismo com economia brasileira, mostra Ipea

7 Set 2011 - 11h03Por Agência Brasil

 A população brasileira continua otimista com o comportamento socieconômico brasileiro, de acordo com o Índice de Expectativas das Famílias (IEF), divulgado mensalmente pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Em agosto, o índice ficou em 65,2 pontos, 1,7 ponto superior ao registrado em julho (63,5 pontos). Como o valor está entre 60 e 80 pontos, é considerado um indicador de otimismo, abaixo da classificação de grande otimismo (que varia entre 80 e 100 pontos), mas acima do item de moderação (que varia entre 40 e 60 pontos).

Segundo o Ipea, a Região Centro-Oeste é a que apresentou maior otimismo das famílias em agosto (73 pontos), seguida pelo Nordeste (67,1 pontos), Sudeste (64,2 pontos) e Norte (61,2 pontos). A Região Sul foi a única que apresentou queda no índice, atingindo otimismo moderado, ao passar de 62,6 pontos em julho para 59,6 pontos em agosto.

O IEF é uma pesquisa mensal, feita em 3.810 domicílios, em 214 municípios de todos os estados brasileiros, que considera cinco dimensões: a situação econômica nacional, a situação financeira, as decisões de consumo, o endividamento e o mercado de trabalho.

No que se refere à expectativa das famílias sobre a situação econômica brasileira, em agosto 56,8% disseram acreditar que o Brasil vai passar por melhores momentos nos próximos 12 meses, superior ao índice do mês anterior (53,2%). Em uma perspectiva de médio prazo, o percentual de famílias que acreditam que a situação econômica brasileira vai piorar nos próximos cinco anos caiu de 25% em julho para 23,5% em agosto.

Sobre a situação financeira, 73,8% dos entrevistados indicaram estar em melhores condições hoje do que há um ano. Quando perguntadas sobre o consumo de bens duráveis, 56,8% das famílias disseram que o momento atual é propício, contra 38,3% que avaliaram que a situação não é a ideal para adquirir bens.

Já os resultados referentes à percepção sobre o endividamento mostraram que 9,7% dos entrevistados disseram estar muito endividados e 52,2% disseram não ter dívidas. O valor médio das contas das famílias que se declararam endividadas em agosto somava R$ 4.189,68, inferior ao registrado em julho, R$ 4.433,65. Um indicador preocupante, segundo o Ipea, é que 38% das pessoas que têm contas atrasadas disseram que não conseguirão saldar seus compromissos.

Quanto ao mercado de trabalho, 80% dos entrevistados declararam se sentir seguros em sua ocupação atual, o que demonstra otimismo. A expectativa de obter melhora profissional cresceu de 38% em julho para 42% em agosto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - BALNEÁRIO MUNICIPAL
Balneário Municipal ficará fechado durante 5 dias este mês de agosto em Bonito (MS)
MAIS UMA FATALIDADE NO RODEIO
Peão que competiu em Barretos morre após cavalo cair em cima dele em cidade do MS
PROCESSO SELETIVO NO MS
Prefeitura abre inscrições para processo seletivo em cidade do MS
BONITO - MS - CURSOS PROFISSIONALIZANTES
Prefeitura concede espaço e SENAI realizará cursos profissionalizantes em Bonito
DOURADOS - MAIS VIOLÊNCIA
Padre é trancado no quarto, espancado e tem pertences levados em Dourados
POLÍTICA
Julgamento de Zeca do PT sobre farra da publicidade é marcado para o dia 4
AÇÃO CIVIL
Estado é acusado de discriminar mulheres em concurso da Polícia Militar
DE MS
Morre de causas naturais maior contrabandista do país preso em 2011
ECONOMIA
Nascidos em agosto já podem sacar abono salarial do PIS/Pasep
INTERNACIONAL
Morre aos 76 anos Aretha Franklin, a 'rainha do soul'