Menu
ITALÍNEA DOURADOS
segunda, 25 de junho de 2018
KAGIVA
Busca
Agricultura

Famasul quer prazo maior para o plantio do milho safrinha

4 Mar 2011 - 08h23Por Assessoria

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), Eduardo Riedel, esteve reunido nesta quarta-feira (02.03), em Brasília, com o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Edilson Guimarães, na tentativa de estender o prazo de recomendação de plantio do milho safrinha no Estado. Devido ao atraso na colheita da soja pelo excesso de chuva, a Famasul, juntamente com a Aprosoja/MS e OCB/MS, havia solicitado a prorrogação de 20 dias no prazo de plantio recomendado pelo Zoneamento de Risco Climático do MAPA, o qual se encerrou na última segunda-feira em alguns municípios do Estado. No entanto, o Mapa concedeu a extensão do período por 10 dias e, ainda assim, para o grupo de cultivares 1 (com ciclo de até 120 dias) e para os cultivos no solo tipo 2 (mistos) e tipo 3 (argilosos). 

Com a alta incidência de chuvas, a colheita da soja e consequentemente o plantio do milho safrinha estão atrasados em cerca de 15%. A colheita da soja é estimada em 20% da área plantada, número que historicamente seria de 35%, o que leva a Famasul a buscar a ampliação do prazo para que os produtores possam concluir o plantio da safrinha. “Esperamos que o ministério se mostre sensível à dificuldade que os produtores estão encontrando devido as condições climáticas que limitam as operações na lavoura”, considera Riedel. 

A Famasul havia solicitado ao Mapa a mesma concessão feita ao Paraná, que obteve prorrogação até 20 de março para todo o Estado. A justificativa do ministério para a concessão parcial da prorrogação é de que nas regiões não contempladas há um risco maior de perdas com o plantio em período diferente da previsão no zoneamento.“Mas as chuvas têm sido constantes e intensas em todo o Estado”, justifica Riedel. Segundo a Estação Meterológica da Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (Uniderp) só nos dois primeiros dias de março, a região de Campo Grande registrou um índice pluviométrico que corresponde a 70 % do esperado para o mês inteiro. 

A preocupação dos produtores com a chuva também está nos prejuízos na safra da soja. “A situação é preocupante porque pode haver perda na qualidade do grão”, ressalta o assessor técnico para a área da agricultura da federação, Lucas Galvan. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - CULTURA
Bonito recebe 4ª edição da Feira Literária
BONITO - MS - AÇÃO DA 1ªCIPM/CPA-3
Polícia Militar recaptura foragido da justiça durante ação na madrugada em Bonito (MS)
PANTANAL
União reconhece situação de emergência em áreas inundadas no Pantanal
EMPREGOS
Exército abre vagas para músicos no 17º Batalhão de Fronteira
CRIME ORGANIZADO
PF faz operação contra célula do PCC em Mato Grosso do Sul e mais quatro estados
EXPANSÃO PARAGUAI
Obras públicas paraguais terão continuidade com mudança de governo
IVINHEMA
Veículo capota na MS-276 após condutor dormir ao volante
LEILÃO DO GOVERNO DO MS
Governo leiloa 43 lotes de veículos e sucatas nesta terça-feira, confira o edital
CAMPO GRANDE E JARDIM
Uems abre concurso para professores efetivos em Campo Grande e Jardim
VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
Padrasto acerta murro na boca de criança ao tentar agredir esposa