Menu
mutantes
sŠbado, 20 de abril de 2019
ASSOMASUL MARÇO
Busca
√ĀGUAS DE BONITO
Agricultura

Famasul quer prazo maior para o plantio do milho safrinha

4 Mar 2011 - 08h23Por Assessoria

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), Eduardo Riedel, esteve reunido nesta quarta-feira (02.03), em Brasília, com o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Edilson Guimarães, na tentativa de estender o prazo de recomendação de plantio do milho safrinha no Estado. Devido ao atraso na colheita da soja pelo excesso de chuva, a Famasul, juntamente com a Aprosoja/MS e OCB/MS, havia solicitado a prorrogação de 20 dias no prazo de plantio recomendado pelo Zoneamento de Risco Climático do MAPA, o qual se encerrou na última segunda-feira em alguns municípios do Estado. No entanto, o Mapa concedeu a extensão do período por 10 dias e, ainda assim, para o grupo de cultivares 1 (com ciclo de até 120 dias) e para os cultivos no solo tipo 2 (mistos) e tipo 3 (argilosos). 

Com a alta incidência de chuvas, a colheita da soja e consequentemente o plantio do milho safrinha estão atrasados em cerca de 15%. A colheita da soja é estimada em 20% da área plantada, número que historicamente seria de 35%, o que leva a Famasul a buscar a ampliação do prazo para que os produtores possam concluir o plantio da safrinha. “Esperamos que o ministério se mostre sensível à dificuldade que os produtores estão encontrando devido as condições climáticas que limitam as operações na lavoura”, considera Riedel. 

A Famasul havia solicitado ao Mapa a mesma concessão feita ao Paraná, que obteve prorrogação até 20 de março para todo o Estado. A justificativa do ministério para a concessão parcial da prorrogação é de que nas regiões não contempladas há um risco maior de perdas com o plantio em período diferente da previsão no zoneamento.“Mas as chuvas têm sido constantes e intensas em todo o Estado”, justifica Riedel. Segundo a Estação Meterológica da Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (Uniderp) só nos dois primeiros dias de março, a região de Campo Grande registrou um índice pluviométrico que corresponde a 70 % do esperado para o mês inteiro. 

A preocupação dos produtores com a chuva também está nos prejuízos na safra da soja. “A situação é preocupante porque pode haver perda na qualidade do grão”, ressalta o assessor técnico para a área da agricultura da federação, Lucas Galvan. 

Deixe seu Coment√°rio

Leia Também

OPORTUNIDADE
JBS anuncia seleção para 62 vagas, em 3 cidades de MS
CAMPO GRANDE - PARQUE DAS NA√á√ēES
Lago assoreado vira ‚Äėcemit√©rio‚Äô em ato de socorro do Parque das Na√ß√Ķes em Campo Grande
DOURADOS - CASO DE POL√ćCIA
DOURADOS: Assaltada e estuprada a caminho do trabalho, mulher procura HU e polícia
PUXÃO DE ORELHA NA PETROBRAS
Em √°udio, Onyx diz que governo deu 'uma trava na Petrobras', caminhoneiros podem ficar sossegados
BONITO - MS - AÇÃO POLICIAL
Quatro menores é pego pela PM tentando assaltar com arma de brinquedo em Bonito (MS)
FERIADO
Sexta-feira Santa é o dia de celebrar a morte de Cristo
CIDADES
Imagens de satélite denunciam desmatamento durante Operação Semana Santa em Nioaque
POL√ćCIA
Amigos param para consertar carro e encontram corpo de mulher na BR-262
BONITO - MS - SERRA DA BODOQUENA
Bonito ‚Äď Serra da Bodoquena: a natureza surpreendente continua linda e precisa ser preservada sempre
PARCERIA
Indígenas do MS comemoram conquista do espaço no mercado de trabalho em lavouras de maçã de SC e RS