Menu
ASSOMASUL MARÇO
tera, 23 de abril de 2019
mutantes
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO

Falta de hormônio pode alterar audição da mulher ao envelhecer

16 Mar 2011 - 14h21Por Folha.com - Ciência

Para o bem e para o mal, os hormônios femininos costumam exercer forte influência nas relações entre homens e mulheres. Mas, segundo pesquisadores da Universidade de Oklahoma (EUA), além da diferenciação sexual, o estrogênio, principal deles, é essencial às funções auditivas.

Em experimentos com pássaros, a equipe descobriu que, para que o cérebro entenda, memorize e diferencie as informações que chegam aos ouvidos, ele depende totalmente do hormônio.

Segundo o neurocientista brasileiro Raphael Pinaud, chefe do estudo publicado no "Journal of Neuroscience", a ligação de problemas auditivos com a síndrome de Turner --doença genética causada pela ausência de um cromossomo feminino-- e com a menopausa ajudou a nortear a pesquisa.

"Todos achavam que a perda hormonal e a auditiva, apesar de ocorrerem simultaneamente, não estavam diretamente ligadas. Percebemos que a perda auditiva pode ser diretamente causada pela perda hormonal."

DIREITOS IGUAIS

Mas isso não significa que as mulheres escutem melhor que os homens.

"Obviamente, as fêmeas têm níveis muito mais altos de estrogênio do que os machos. Mas esse é o estrogênio periférico, produzido por ovários e testículos. No cérebro, onde é produzido o estrogênio que controla a função auditiva, isso não é verdade, os níveis são idênticos", explica Pinaud.

E é a ausência desse "estrogênio local", atuando como neurotransmissor --uma espécie de "mensageiro químico" do cérebro-- que bloqueia nossa audição, mesmo que os ouvidos estejam em perfeito funcionamento.

TRATAMENTO

Pinaud diz que o próximo passo de sua equipe é encontrar um tratamento para problemas auditivos causados pela falta do hormônio.

"Mas tratamentos convencionais com estrogênio não seriam a solução. Apesar dos efeitos positivos, ele induz a carcinogênese --ou seja, aumenta a probabilidade de vários tipos de câncer", afirma.

Um outro efeito colateral possível do estrogênio é a "feminilização" de um organismo masculino que se submetesse ao hormônio.

Uma alternativa para esses casos é o uso de fitoestrogênios, ou seja, hormônios similares aos do ser humano, mas extraídos de plantas. Entre eles, a equipe de Pinaud busca aqueles que atuem na audição e não provoquem efeitos indesejados. "Temos 12 fitoestrogênios possíveis até agora", diz.

Outra possibilidade é a produção artificial desse tipo de substância

Deixe seu Comentário

Leia Também

CIDADES
Dias Toffoli chama para conciliação com indígenas e revolta sitiantes
POLÍTICA
Deputado quer proibir sátira de imagens cristãs em manifestações de MS
COTIDIANO
Amigos lamentam falecimento de Rubens Catenacci, referência na pecuária brasileira
TURISMO
Boletim comparativo de alta temporada do ObservaturMS mostra crescimento no fluxo turístico
GERAL
MPT investiga demissão de funcionários da Mabel sem aviso prévio em MS
EDUCAÇÃO
Governo de MS divulga inscrições para Vale Universidade Indígena
MEIO AMBIENTE
Desmatamento prossegue em Rio Verde, mas com nova faixa de preservação
POLÍCIA
Traficante foge e abandona picape com mais de 800 kg de maconha
POLÍTICA
Prefeita de Miranda continua no comando até ser notificada de cassação
EMPREGOS E CONCURSOS
Prefeitura abre seletiva com 34 vagas e salários de até R$ 1,7 mil em MS