Menu
ASSOMASUL MAIO 2019
tera, 25 de junho de 2019
Busca
ÁGUAS DE BONITO

Estudos mostram relação entre células do cérebro e depressão

5 Ago 2011 - 09h17Por Correio do Estado/Ig

Segundo estudo, existe relação entre a capacidade de formar novos neurônios na vida adulta e a depressão. P esquisa com camundongos descobriu que ao bloquear a criação dos novos neurônios na região do cérebro chamada de hipocampo, animais adultos apresentaram sintomas de depressão.

“Nosso estudo é o primeiro a mostrar que ao inibir a produção natural de novos neurônios aparecem sintomas do tipo depressivos em um modelo animal”, afirmou ao iG Heather Cameron, do Institutos Nacionais de Saúde nos Estados Unidos e principal autora do estudo publicado hoje (3) no periódico científico Nature.

Heather explica que estudos prévios de Ron Duman propunham que havia uma ligação entre a criação de novos neurônios na idade adulta e depressão baseado em uma descoberta de seu grupo de que os medicamentos antidepressivos aumentavam o nascimento de novos neurônios.

Esta relação foi reforçada por outro estudo do pesquisador Rene Hen que mostrou que os efeitos comportamentais dos antidepressivos não estavam presentes em camundongos que não tinham a formação de novos neurônios. “Essas descobertas, porém, indicavam que os novos neurônios tinham um papel no tratamento da depressão, não na causa dela”, disse Heater.

O trabalho de Heater delineou também a forma como isto acontece ao mostrar que os neurônios jovens amortecem as respostas ao estresse. Ao perder as células cerebrais os animais passaram a responder mais fortemente ao estímulo, liberando mais hormônios relacionados ao estresse e aumentando o comportamento depressivo.

“É sabido que o estresse aumenta este tipo de comportamento em animais e predispõe humanos à depressão, mas não era sabido que os neurônios novos no hipocampo estavam relacionados a essas respostas”, explicou Heather.

O próximo passo da pesquisa será aprender mais sobre o caminho que leva a perda de neurônios jovens a aumentar as respostas ao estresse. “Assim poderemos encontrar mais pontos a serem estudados para reverter o processo”, explicou a pesquisadora.

Suicidas

Outro estudo publicado também nesta quarta-feira (3) foi encontrada uma relação entre  depressão e astrocitos, células presentes na substância branca do cérebro que tem a função de nutrir os neurônios.

Ao estudar uma região do cérebro que regula as emoções, Naguib Mechawar e Gustavo Turecki constataram que astrocitos presentes na substância branca do cérebro de pessoas com histórico de depressão e que se suicidaram era maior do que em pessoas que morreram naturalmente e não tinham histórico da doença. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

MUNDO DA MÚSICA
Marilia Mendonça recorda foto de antes da fama com Cristiano Araújo: 'Saudade'
BODOQUENA - MS - SOLIDARIEDADE
BODOQUENA: Em fase difícil da vida, pedagoga desapega e doa cabelo para quem luta contra o câncer
EM CIDADE DO MS
Pilar de concreto que sustentava rede cai e mata menina de 4 anos em MS
NOVELA DA GLOBO
A Dona do Pedaço: Maria da Paz é humilhada por Vivi Guedes e Régis se aproveita de situação
EM MS
Bombeiros retiram Saveiro que caiu nas águas de rio em MS
OPORTUNIDADE NO MS
Concurso e processos seletivos oferecem 728 vagas no Estado do MS
BONITO - MS - PEDALADA DE SÃO PEDRO
Inscrições para 'pedalada' da 91ª Festa de São Pedro estão abertas em Bonito (MS)
BONITO - MS - EMPOSSADA
Prefeito dá posse a nova farmacêutica bioquímica concursada em Bonito (MS)
LUTO NO JORNALISMO
Após oito dias internada, aos 23 anos, jornalista de Campo Grande morre em São Paulo
CAMPO GRANDE - MS - LGBTQ
Boate dominada por lésbicas tem drink de 2 litros e criações como 'Sapatônica' em Campo Grande