Menu
mutantes
tera, 23 de abril de 2019
ASSOMASUL MARÇO
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO

Estado vai priorizar vias de escoamento da safra na recuperação de estradas

15 Mar 2011 - 14h59Por Notícias MS - Governo do Estado

O governo do Estado vai utilizar os R$ 5 milhões de liberação imediata prometidos pelo ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, na reconstrução de estradas para ajudar na melhoria do tráfego para escoamento da safra agrícola. O repasse do dinheiro é aguardado para hoje (14), e, conforme o governador André Puccinelli, vai ser aplicado por meio de um plano de trabalho do governo estadual em recuperação viária mais emergencial.

Em entrevista hoje ao programa Bom Dia MS, da TV Morena, o governador disse que o montante é pouco ante os problemas que Mato Grosso do Sul vem enfrentando por causa das inundações, e espera que o governo federal tome a decisão política de assistir o Estado e a região Centro-Oeste com mais recursos financeiros.

Durante a visita do ministro, na sexta-feira (11), André entregou um dossiê com o levantamento dos danos de infraestrutura, apontando que são necessários em torno de R$ 110 milhões para reconstruir ou consertar estradas e pontes da malha viária estadual. O governo também está auxiliando os municípios na busca de auxílio para as demandas de cada localidade, com apoio para preparação de planos de trabalho. “Nós rapidamente contatamos os prefeitos, explicamos a eles que se houver descentralização para cada prefeitura, é mais rápida a execução do serviço, e o Estado computou a sua parte, de estradas e pontes estaduais”, disse Puccinelli. Na área estadual, somente para reconstruir pontes, é estimada a necessidade de R$ 24 milhões.

Considerando que se houver demora ou insuficiência de verba federal vai ser preciso o uso de recursos próprios para fazer frente aos investimentos de recuperação, o governador disse que poderá remanejar montantes de secretarias onde a prioridade pode ser menor que na de Obras Públicas e de Transportes nesse momento. Isso não vai comprometer, no entanto, setores específicos como a Saúde e a Educação, onde fica garantida a aplicação orçamentária obrigatória de 12% e de 25%, respectivamente.

“Já vou determinar cortes imediatos, senão não tem como planejar, e lá na frente, sem planejamento, vamos sofrer consequencias piores”, afirmou. Puccinelli explicou que além dessa realocação de recursos necessária, todo o recurso arrecadado do Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul (Fundersul) já vinha sendo utilizado no atendimento às necessidades prioritárias da malha viária, através das 22 equipes emergenciais montadas para recuperar as estradas.

Habitação e agricultura

No setor da habitação, o governo pretende trabalhar para atender em torno de 890 famílias que precisarão se mudar definitivamente de áreas ribeirinhas passíveis de alagamento em qualquer ocasião de chuva. Conforme o governador, o Estado vai trabalhar em parceria com as prefeituras, e também buscar participação da União para garantir nova moradia, em local mais seguro para essa população.

André Puccinelli reiterou que o Estado também espera solução para o pedido de medidas em favor dos agricultores, que estão sofrendo impacto direto nas lavouras em função das inundações. “Fizemos um apelo ao ministro [da Integração Nacional] para que as autoridades do Conselho Monetário possam estipular medidas emergenciais para eventuais renegociações das dívidas dos agricultores, e que não se faça caso a caso, porque [o prejuzo] foi geral, em todo o Estado”, disse o governador.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CIDADES
Dias Toffoli chama para conciliação com indígenas e revolta sitiantes
POLÍTICA
Deputado quer proibir sátira de imagens cristãs em manifestações de MS
COTIDIANO
Amigos lamentam falecimento de Rubens Catenacci, referência na pecuária brasileira
TURISMO
Boletim comparativo de alta temporada do ObservaturMS mostra crescimento no fluxo turístico
GERAL
MPT investiga demissão de funcionários da Mabel sem aviso prévio em MS
EDUCAÇÃO
Governo de MS divulga inscrições para Vale Universidade Indígena
MEIO AMBIENTE
Desmatamento prossegue em Rio Verde, mas com nova faixa de preservação
POLÍCIA
Traficante foge e abandona picape com mais de 800 kg de maconha
POLÍTICA
Prefeita de Miranda continua no comando até ser notificada de cassação
EMPREGOS E CONCURSOS
Prefeitura abre seletiva com 34 vagas e salários de até R$ 1,7 mil em MS