Menu
BONITO_PREFEITURA_FEVEREIRO_2019
quinta, 21 de fevereiro de 2019
mutantes
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Engenheiro eletrônico colombiano cria marcapasso menor que grão de arroz

24 Ago 2011 - 16h00Por Folha.com

O engenheiro eletrônico colombiano Jorge Reynolds, criador do primeiro marcapasso há 53 anos, anunciou o lançamento de um novo dispositivo que mede um terço de um grão de arroz e dispensa bateria.

Reynolds, 75, inventou o primeiro marca-passo artificial externo com eletrodos internos em 1958. O artefato pesava quase 50 quilos e funcionava com uma bateria de automóvel.

O nanomarca-passos, anunciado durante o 4º Salão de Inventores e Alta Tecnologia em Medellín, Colômbia, por sua vez, aproveita a própria energia do coração, quando o órgão se contrai, para funcionar.

Os testes com animais serão feitos em breve e, calcula, a nova versão poderá ser implantada em pessoas dentro de cinco anos.

O engenheiro criador do aparelho destacou também que a outra vantagem será o preço do aparelho, a ser vendido em torno de US$ 1 mil (R$ 1.600), valor muito inferior aos US$ 12 mil (R$ 19 mil) atuais.

Reynolds estudou as freqüências do coração de atletas, paraquedistas e de diferentes animais --entre eles, realizou pesquisas acústicas em baleias jubarte (Megaptera novaeangliae) em águas do oceano Pacífico colombiano.

O dispositivo representa um trabalho de 11 anos do chamado grupo de pesquisa Acompanhamento do Coração Via Satélite, do qual o cientista faz parte e que conta com o apoio do Instituto de Tecnologia de Taiwan, de universidades dos Estados Unidos e de alguns países europeus.

 Jorge Reynolds, criador do primeiro marcapasso há 53 anos, anunciou o lançamento de um novo dispositivo que mede um terço de um grão de arroz e dispensa bateria.

Reynolds, 75, inventou o primeiro marca-passo artificial externo com eletrodos internos em 1958. O artefato pesava quase 50 quilos e funcionava com uma bateria de automóvel.

O nanomarca-passos, anunciado durante o 4º Salão de Inventores e Alta Tecnologia em Medellín, Colômbia, por sua vez, aproveita a própria energia do coração, quando o órgão se contrai, para funcionar.

Os testes com animais serão feitos em breve e, calcula, a nova versão poderá ser implantada em pessoas dentro de cinco anos.

O engenheiro criador do aparelho destacou também que a outra vantagem será o preço do aparelho, a ser vendido em torno de US$ 1 mil (R$ 1.600), valor muito inferior aos US$ 12 mil (R$ 19 mil) atuais.

Reynolds estudou as freqüências do coração de atletas, paraquedistas e de diferentes animais --entre eles, realizou pesquisas acústicas em baleias jubarte (Megaptera novaeangliae) em águas do oceano Pacífico colombiano.

O dispositivo representa um trabalho de 11 anos do chamado grupo de pesquisa Acompanhamento do Coração Via Satélite, do qual o cientista faz parte e que conta com o apoio do Instituto de Tecnologia de Taiwan, de universidades dos Estados Unidos e de alguns países europeus.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GESTÃO PÚBLICA
Reinaldo Azambuja fala sobre desafios da nova gestão em entrevista à GloboNews
BONITO - MS - CONGRESSOS DE NETWORKING
Bonito (MS) receberá pelo menos 10 mil visitantes na baixa temporada em busca de networking em 2019
AGORA DEU MEDO
PMA captura cascavel de 1,3 metros em residência na Capital
GERAL
Em MS, 38 radares voltam a operar na BR-163 a partir da próxima semana
TEMPO E TEMPERATURA
Alerta: 24 cidades de MS estão com aviso de tempestade de perigo potencial
BONITO - MS - POLÍCIA
Vítima de 'estupro virtual' volta para casa e retoma rotina na escola em Bonito (MS)
GERAL
Sistema do Detran-MS continua fora do ar nesta quarta-feira
GERAL
Gabaritos do Enade 2018 já estão disponíveis no site do Inep
COTA ZERO
Deputados pedem que caça do jacaré seja liberada
POLÍCIA
Homem é preso, suspeito de exploração sexual de criança