Menu
ASSOMASUL MAIO 2019
segunda, 27 de maio de 2019
Busca
ÁGUAS DE BONITO

Embraer recebe pedidos de 39 jatos no total de U$ 1,7 bilhão

21 Jun 2011 - 14h48Por Estadão.com

A Embraer, a quarta maior fabricante de aviões do mundo, anunciou nesta segunda-feira, 20, durante abertura da Paris Air Show, na França, que três companhias aéreas e duas de leasing encomendaram 39 jatos regionais, totalizando cerca de US$ 1,7 bilhão. Os pedidos incluem ainda opção de compra de outras 22 aeronaves.

A Embraer, que está sob pressão para vender seus E-jets, à medida que emergem outros competidores, afirmou que assinou uma carta de intenções com a Kenya Airways para 10 encomendas firmes do modelo 190 e opções de compra de outras 10 aeronaves. A companhia espera alcançar um acordo definitivo nas próximas semanas, afirmou o presidente de aviação comercial da Embraer, Paulo César de Souza e Silva.

A Air Astana, do Casaquistão, também encomendou dois jatos regionais da Embraer modelo 190 e opções de compra para outras duas aeronaves. O valor total da encomenda pelo preço de lista é de US$ 85,6 milhões.

A GE Capital Aviation Services (Gecas), empresa de leasing e financiamento de aeronaves da General Electric, encomendou dois E-jets, enquanto a Air Lease Corp. pediu cinco aeronaves, o que leva o número total de aeronaves encomendadas desde o ano passado pela companhia para 30.

A Sriwijaya Air, da Indonésia, encomendou 20 aviões modelo 190 e opções de compra para outros 10. O valor total do negócio a preço de lista é de US$ 856 milhões e pode alcançar US$ 1,28 bilhão se todos os direitos de compra forem exercidos.

Demanda mundial

A Embraer estima que a demanda mundial de transporte aéreo, medida em passageiro-quilômetro transportado (RPK), crescerá a uma taxa média anual de 5,2% até 2030, quando o volume de tráfego atingirá 13 trilhões de RPK. A projeção faz parte do relatório sobre perspectivas para a demanda de aeronaves comerciais com capacidade de 30 a 120 assentos para o período 2011-2030 divulgado nesta segunda-feira.

Segundo a empresa, enquanto a indústria continua se recuperando da crise financeira de 2008, algumas regiões estão liderando a retomada do crescimento e devem emergir como grandes forças econômicas. "A desaceleração foi forte, mas a recuperação está sendo mais rápida do que o esperado", afirma a companhia.

A previsão é de que nos próximos 20 anos, o mercado chinês registrará o maior crescimento, com uma taxa anual média de 7,5%, seguido pela América Latina (7,2%), Oriente Médio (6,9%), Ásia Pacífico (6,1%), Comunidade dos Estados Independentes CEI (5,9%) e África (5,4%). "Em regiões com economias mais desenvolvidas, como América do Norte e Europa, a demanda será menor (3,5% e 4,4%, respectivamente), devido à maturidade destes mercados e a uma recuperação econômica mais lenta", explica.

Novos jatos

A Embraer prevê demanda mundial de 7.225 novas entregas de jatos no segmento com capacidade de 30 a 120 assentos para os próximos 20 anos. Estima-se que o valor de mercado equivalente seja de US$ 320 bilhões. Deste total, 3.125 jatos deverão ser entregues entre 2011 e 2020 e outros 4.100 entre 2021 e 2030.

A companhia detalha que o segmento de aviões de 50 assentos está sendo pressionado pelos preços do combustível e pelas tarifas aéreas reduzidas. No entanto, ressalta, estas aeronaves ainda são essenciais para a alimentação dos principais aeroportos nos Estados Unidos e auxiliarão progressivamente o desenvolvimento da aviação regional em locais como CEI, África e América Latina.

O segmento de 61 a 120 assentos, segundo a Embraer, tem oferecido flexibilidade e melhoria de eficiência às empresas aéreas, por meio do ajuste da oferta de assentos de jatos maiores, substituição de aviões mais antigos, desenvolvimento de novos mercados e crescimento da oferta de assentos nos mercados de jatos regionais.

A fabricante brasileira estima ainda que a frota mundial de jatos com capacidade de 30 a 120 assentos aumentará de 4.225 aviões em 2010 para 8.060 em 2030. "Durante este período, 53% das novas entregas (3.835 jatos) serão introduzidas para sustentar o crescimento do mercado, enquanto 47% (3.390 jatos) substituirão aviões mais antigos", afirma. A empresa estima que em 2030, 835 jatos da frota atual (20%) ainda estarão operando. As informações são da Dow Jones.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CIDADES
Miss de MS vai representar o Brasil em concurso internacional
COMPORTAMENTO
Tribunal de Justiça lança campanha contra o feminicídio nesta segunda-feira
TURISMO
Governo irá premiar quem atua promovendo o turismo em Mato Grosso do Sul
POLÍCIA
Ladrões de gado que atacavam fazendas de MS são presos em flagrante
GERAL
Leitura que liberta: presos usam tempo ocioso do cárcere para ler livros e diminuir pena
EM FLAGRANTE
Cinco homens são presos com 19 cães de caça em MS
ASSASSINATO EM MS
Jovem morre com facada no peito durante festa em cidade do MS
BONITO - MS - FIB 2019
Festival de Inverno levará espetáculos para assentamentos e distritos de Bonito (MS)
BONITO - MS - VISITA ILUSTRE
Em Bonito (MS), Miss Brasil Júlia Horta destaca 'A energia daqui é inexplicável'
COISA DE DOIDO
VÍDEO: Sucuri ataca bombeiro durante resgate, ASSISTA!