Menu
ITALÍNEA DOURADOS
domingo, 19 de agosto de 2018
KAGIVA
Busca

Embraer recebe pedidos de 39 jatos no total de U$ 1,7 bilhão

21 Jun 2011 - 14h48Por Estadão.com

A Embraer, a quarta maior fabricante de aviões do mundo, anunciou nesta segunda-feira, 20, durante abertura da Paris Air Show, na França, que três companhias aéreas e duas de leasing encomendaram 39 jatos regionais, totalizando cerca de US$ 1,7 bilhão. Os pedidos incluem ainda opção de compra de outras 22 aeronaves.

A Embraer, que está sob pressão para vender seus E-jets, à medida que emergem outros competidores, afirmou que assinou uma carta de intenções com a Kenya Airways para 10 encomendas firmes do modelo 190 e opções de compra de outras 10 aeronaves. A companhia espera alcançar um acordo definitivo nas próximas semanas, afirmou o presidente de aviação comercial da Embraer, Paulo César de Souza e Silva.

A Air Astana, do Casaquistão, também encomendou dois jatos regionais da Embraer modelo 190 e opções de compra para outras duas aeronaves. O valor total da encomenda pelo preço de lista é de US$ 85,6 milhões.

A GE Capital Aviation Services (Gecas), empresa de leasing e financiamento de aeronaves da General Electric, encomendou dois E-jets, enquanto a Air Lease Corp. pediu cinco aeronaves, o que leva o número total de aeronaves encomendadas desde o ano passado pela companhia para 30.

A Sriwijaya Air, da Indonésia, encomendou 20 aviões modelo 190 e opções de compra para outros 10. O valor total do negócio a preço de lista é de US$ 856 milhões e pode alcançar US$ 1,28 bilhão se todos os direitos de compra forem exercidos.

Demanda mundial

A Embraer estima que a demanda mundial de transporte aéreo, medida em passageiro-quilômetro transportado (RPK), crescerá a uma taxa média anual de 5,2% até 2030, quando o volume de tráfego atingirá 13 trilhões de RPK. A projeção faz parte do relatório sobre perspectivas para a demanda de aeronaves comerciais com capacidade de 30 a 120 assentos para o período 2011-2030 divulgado nesta segunda-feira.

Segundo a empresa, enquanto a indústria continua se recuperando da crise financeira de 2008, algumas regiões estão liderando a retomada do crescimento e devem emergir como grandes forças econômicas. "A desaceleração foi forte, mas a recuperação está sendo mais rápida do que o esperado", afirma a companhia.

A previsão é de que nos próximos 20 anos, o mercado chinês registrará o maior crescimento, com uma taxa anual média de 7,5%, seguido pela América Latina (7,2%), Oriente Médio (6,9%), Ásia Pacífico (6,1%), Comunidade dos Estados Independentes CEI (5,9%) e África (5,4%). "Em regiões com economias mais desenvolvidas, como América do Norte e Europa, a demanda será menor (3,5% e 4,4%, respectivamente), devido à maturidade destes mercados e a uma recuperação econômica mais lenta", explica.

Novos jatos

A Embraer prevê demanda mundial de 7.225 novas entregas de jatos no segmento com capacidade de 30 a 120 assentos para os próximos 20 anos. Estima-se que o valor de mercado equivalente seja de US$ 320 bilhões. Deste total, 3.125 jatos deverão ser entregues entre 2011 e 2020 e outros 4.100 entre 2021 e 2030.

A companhia detalha que o segmento de aviões de 50 assentos está sendo pressionado pelos preços do combustível e pelas tarifas aéreas reduzidas. No entanto, ressalta, estas aeronaves ainda são essenciais para a alimentação dos principais aeroportos nos Estados Unidos e auxiliarão progressivamente o desenvolvimento da aviação regional em locais como CEI, África e América Latina.

O segmento de 61 a 120 assentos, segundo a Embraer, tem oferecido flexibilidade e melhoria de eficiência às empresas aéreas, por meio do ajuste da oferta de assentos de jatos maiores, substituição de aviões mais antigos, desenvolvimento de novos mercados e crescimento da oferta de assentos nos mercados de jatos regionais.

A fabricante brasileira estima ainda que a frota mundial de jatos com capacidade de 30 a 120 assentos aumentará de 4.225 aviões em 2010 para 8.060 em 2030. "Durante este período, 53% das novas entregas (3.835 jatos) serão introduzidas para sustentar o crescimento do mercado, enquanto 47% (3.390 jatos) substituirão aviões mais antigos", afirma. A empresa estima que em 2030, 835 jatos da frota atual (20%) ainda estarão operando. As informações são da Dow Jones.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS - ACIDENTE FATAL
Acidente mata motociclista que tentava atravessar rodovia em Dourados
FAMOSIDADE - "SUSPIROS" DOS FÃS
Sem calcinha, Juju Salimeni compartilha foto ousada
MUNDO DOS FAMOSOS - NO AR -
Gusttavo Lima passa perrengue em vôo para Nova Iorque
OPORTUNIDADES NO MS
Governo de MS tem quatro concursos com 2,3 mil cargos ainda em 2018
NOVA FRENTE FRIA - VEJA A PREVISÃO
Nova frente fria chega a Mato Grosso do Sul e mínima será de 6ºC
AÇÕES DO GOVENO DO MS
Governador afirma que pavimentação asfáltica da MS-223 começa nos próximos dias em Costa Rica
INELEGÍVEL
Procuradoria pede impugnação de candidatura do Zeca do PT
BONITO - MS - INAUGURAÇÃO
HOJE tem inauguração do Santo Rock Bar, caipirinha FREE para mulheres até meia-noite em Bonito (MS)
POLÍTICA
Parecer do TRE-MS dá aval para cassar vereadora Cida Amaral
MEIO AMBIENTE
Em fase final, projeto visa recuperar o Taquari com manejo correto do solo