Menu
ITALÍNEA DOURADOS
sbado, 18 de agosto de 2018
KAGIVA
Busca

Dona de fazenda onde havia caça de onça é multada em mais R$ 115 mil

23 Mai 2011 - 15h04Por Campo Grande News

O Ibama aplicou mais uma multa à pecuarista Beatriz Rondon, proprietária da Fazenda Santa Sofia, onde, segundo investigações que vieram à tona este mês, eram feitas caçadas de onças e outros animais silvestres. São duas novas multas, no valor de R$ 115 mil, que se somam à anterior, de R$ 105 mil, totalizando R$ 220 mil.

Conforme o Ibama divulgou, as novas multas são por caça profissional, proibida no País, e por danos causados à unidade de conservação, localizada no Pantanal do Rio Negro.

A multa por caça profissional é de R$ 15 mil e a segunda, pelos danos à unidade de conservação, é de R$ 100 mil. As punições são baseadas no decreto 6514, de julho de 2008, que trata das punições administrativas a infrações ao meio ambiente.

A decisão foi da Divisão de Proteção Ambiental do Ibama em Brasília. Beatriz já havia sido multada em R$ 105 mil reais por caça ilegal e abate de animais ameaçados de extinção, logo após a operação Jaguar II, desencadeada pelo Ibama e pela Polícia Federal no dia 5 de maio.

Safari no Pantanal -Durante a operação, o Ibama e a Polícia Federal apreenderam na sede da Fazenda Santa Sofia, 2 crânios de onças, 16 galhadas de cervos do Pantanal e uma pele de sucuri de 3,5 metros. Um vídeo enviado anonimamente à Polícia Federal retrata a matança de duas onças, uma parda e uma pintada por estrangeiros na fazenda de Beatriz e na presença dela.

A defesa da fazendeira alega que a gravação é antiga.A perícia, porém, indicou que os vídeos são de 2004 e portanto as irregularidades não prescreveram. Além disso, os restos de animais mortos apresentaram matéria orgânica, indicando morte recente.

As investigações da operação foram iniciadas há cerca de um ano, a partir de indícios encontrados pelo Ibama e pela Polícia Federal ao desarticular uma quadrilha especializada em realizar safáris de caças de onças para estrangeiros, com atuação em todo o Pantanal.

Na operação Jaguar I, foram presos em Sinop, no Mato Grosso, 10 pessoas, incluindo o homem apontado como chefe da quadrilha, Eliseu Sicoli, e decretada a prisão de Antonio Teodoro de Melo, o Tonho da Onça, mateiro especializado na caça de onças no pantanal. A prisão de Antonio Teodoro foi relaxada ainda no ano passado.

A investigação do Ibama e da Polícia Federal constatou a presença de Tonho da Onça também nas caçadas realizadas na Fazenda de Beatriz Rondon. O inquérito está em andamento na Polícia Federal de Corumbá.

Deixe seu Comentário

Leia Também

OPORTUNIDADES NO MS
Governo de MS tem quatro concursos com 2,3 mil cargos ainda em 2018
NOVA FRENTE FRIA - VEJA A PREVISÃO
Nova frente fria chega a Mato Grosso do Sul e mínima será de 6ºC
AÇÕES DO GOVENO DO MS
Governador afirma que pavimentação asfáltica da MS-223 começa nos próximos dias em Costa Rica
INELEGÍVEL
Procuradoria pede impugnação de candidatura do Zeca do PT
BONITO - MS - INAUGURAÇÃO
HOJE tem inauguração do Santo Rock Bar, caipirinha FREE para mulheres até meia-noite em Bonito (MS)
POLÍTICA
Parecer do TRE-MS dá aval para cassar vereadora Cida Amaral
MEIO AMBIENTE
Em fase final, projeto visa recuperar o Taquari com manejo correto do solo
BONITO - MS - AÇÕES NO ÁGUAS DO MIRANDA
BONITO (MS): Obras realiza serviços de revitalização no distrito Águas do Miranda
BONITO - MS
Almoço beneficente em prol do Instituto Visão de Vida acontecerá neste sábado em Bonito
CASO MAYARA
Acusado de matar a musicista Mayara Amaral diz que estava 'possuído'