Menu
BONITO_PREFEITURA_FEVEREIRO_2019
quarta, 20 de fevereiro de 2019
mutantes
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Dona de fazenda onde havia caça de onça é multada em mais R$ 115 mil

23 Mai 2011 - 15h04Por Campo Grande News

O Ibama aplicou mais uma multa à pecuarista Beatriz Rondon, proprietária da Fazenda Santa Sofia, onde, segundo investigações que vieram à tona este mês, eram feitas caçadas de onças e outros animais silvestres. São duas novas multas, no valor de R$ 115 mil, que se somam à anterior, de R$ 105 mil, totalizando R$ 220 mil.

Conforme o Ibama divulgou, as novas multas são por caça profissional, proibida no País, e por danos causados à unidade de conservação, localizada no Pantanal do Rio Negro.

A multa por caça profissional é de R$ 15 mil e a segunda, pelos danos à unidade de conservação, é de R$ 100 mil. As punições são baseadas no decreto 6514, de julho de 2008, que trata das punições administrativas a infrações ao meio ambiente.

A decisão foi da Divisão de Proteção Ambiental do Ibama em Brasília. Beatriz já havia sido multada em R$ 105 mil reais por caça ilegal e abate de animais ameaçados de extinção, logo após a operação Jaguar II, desencadeada pelo Ibama e pela Polícia Federal no dia 5 de maio.

Safari no Pantanal -Durante a operação, o Ibama e a Polícia Federal apreenderam na sede da Fazenda Santa Sofia, 2 crânios de onças, 16 galhadas de cervos do Pantanal e uma pele de sucuri de 3,5 metros. Um vídeo enviado anonimamente à Polícia Federal retrata a matança de duas onças, uma parda e uma pintada por estrangeiros na fazenda de Beatriz e na presença dela.

A defesa da fazendeira alega que a gravação é antiga.A perícia, porém, indicou que os vídeos são de 2004 e portanto as irregularidades não prescreveram. Além disso, os restos de animais mortos apresentaram matéria orgânica, indicando morte recente.

As investigações da operação foram iniciadas há cerca de um ano, a partir de indícios encontrados pelo Ibama e pela Polícia Federal ao desarticular uma quadrilha especializada em realizar safáris de caças de onças para estrangeiros, com atuação em todo o Pantanal.

Na operação Jaguar I, foram presos em Sinop, no Mato Grosso, 10 pessoas, incluindo o homem apontado como chefe da quadrilha, Eliseu Sicoli, e decretada a prisão de Antonio Teodoro de Melo, o Tonho da Onça, mateiro especializado na caça de onças no pantanal. A prisão de Antonio Teodoro foi relaxada ainda no ano passado.

A investigação do Ibama e da Polícia Federal constatou a presença de Tonho da Onça também nas caçadas realizadas na Fazenda de Beatriz Rondon. O inquérito está em andamento na Polícia Federal de Corumbá.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LOTERIA
Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 32 milhões
POLÍCIA
Polícia Militar apreende 537,2 kg de droga avaliadas em R$16 milhões
GASTRONOMIA
Pão de mandioca com Pesto do Cerrado é petisco bem sul-mato-grossense
ESPORTES
Operário visita o Sete para encostar no líder
CIDADES
Pelo 11° dia, pescadores mantém bloqueio no Rio Paraguai e veem para audiência
GERAL
Fundação de Cultura reconhece mais dívidas em contratos de 2018 com artistas
BONITO - MS
Prefeitura contrata empresa para asfaltar a Vila Machado
TEMPO E TEMPERATURA
Tempo encoberto permanece nesta quarta-feira; sol e chuva se revezam em MS
GERAL
Justiça confirma proibição da venda de agrotóxicos no Mercado Livre
SEM DEFESA
Advogada ameaça suicídio e júri é suspenso com réu sem defesa em MS