Menu
mutantes
sbado, 16 de fevereiro de 2019
mutantes
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Diretor do BC sinaliza novos aumentos da Selic para conter inflação

20 Mai 2011 - 08h35Por Agência Brasil

O governo acha que as medidas macroprudenciais já adotadas para diminuir a demanda por crédito e a elevação da taxa básica de juros (Selic) são suficientes para conter a inflação, que acumula 6,51% nos últimos 12 meses terminados em abril. Mas, se isso não ocorrer, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) poderá prolongar os ajustes na Selic até onde for necessário.

Esse foi o recado que o diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton Araújo, transmitiu hoje (19), em Recife, onde anunciou o Boletim Regional de abril, com a evolução dos indicadores econômicos por região. Ele reafirmou a determinação da autoridade monetária, de trazer a inflação para o centro da meta de 4,5% ao ano até o fim de 2012, e admitiu que além do aumento da Selic, “outras medidas poderão ser adotadas”.

Hamilton acredita, contudo, que as medidas adotadas de dezembro de 2010 para cá, com o objetivo de reduzir o ritmo da economia, farão mais efeito no segundo semestre deste ano, uma vez que há uma defasagem considerável entre a tomada de decisão e seu impacto na demanda por consumo e na inflação. Ele ressaltou que o BC já detectou queda acentuada na concessão de crédito a pessoas físicas, no primeiro quadrimestre do ano, o que mostra uma economia em ritmo menos forte que em 2010.

O diretor do BC afirmou que os principais indicadores econômicos apontam “arrefecimento” do ritmo de expansão da demanda e moderação do crescimento da produção. Fatores consistentes, segundo ele, com os efeitos das medidas macroprudenciais, adotadas para reduzir o risco sistêmico do setor financeiro, como o aumento do compulsório bancário, no início de dezembro, que retirou R$ 61 bilhões de circulação, de acordo com cálculos do próprio BC, e contraiu a oferta de crédito. Este, além de escasso, ficou mais caro.

Referindo-se ao Boletim Regional, motivo de seu deslocamento à capital pernambucana, Carlos Hamilton disse que a atividade econômica na Região Norte registrou dinamismo expressivo de janeiro a março; bem mais forte que o desempenho da economia no país como um todo. A economia nordestina, por exemplo, ratifica a tendência de arrefecimento da atividade, com desempenho negativo na indústria, menor expansão das vendas no varejo e a eliminação de empregos formais, disse ele.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS - COLISÃO MATOU OS DOIS
Em Dourados, VÍDEO mostra colisão frontal entre motos que matou dois, assista
BONITO - MS - NOVO HORÁRIO
Com o fim do horário de verão Balneário tem novo horário de funcionamento em Bonito (MS)
BONITO - MS - REIVINDICAÇÃO
Meio Ambiente pede mais 10 policiais e 3 viaturas para PMA em Bonito (MS)
MARACAJU - SEGURANÇA
Em Maracaju, Operação Petra cumpre 18 mandados de busca e apreensão e prende três pessoas
AÇÕES DO GOVERNO DO MS
Na fronteira, Reinaldo entrega R$ 1,4 milhão em equipamentos agrícolas
POLÍCIA
Homem é preso em MS por estuprar crianças, filmar e divulgar vídeos
EMPREENDEDORISMO
Seleção oferecerá consultoria gratuita para 200 mulheres em MS
MEIO AMBIENTE
Em 15 dias, polícia ambiental capturou 8 cobras em residências de MS
POLÍCIA
Militares rodoviários são presos pelo Bope com dinheiro de propina em MS
GERAL
Campanha de fiscalização vai vistoriar quase dois mil veículos do sistema intermunicipal