Menu
mutantes
quinta, 21 de fevereiro de 2019
BONITO_PREFEITURA_FEVEREIRO_2019
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Deputado Protógenes Queiroz quer pena para corrupto igual a dos crimes contra a vida

5 Ago 2011 - 08h02Por Campo Grande News

Palestrante no ciclo de Congressos de Direito, promovido no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, o deputado federal (PCdoB/SP) e delegado federal, Protógenes Queiroz, destacou nesta quinta-feira em Campo Grande o projeto de lei que apresentou na Câmara Federal para equiparar os crimes de corrupção aos crimes contra a vida.

“Não tem diferença do corrupto para o homicida, o que desvia dinheiro público, que faz falta na Saúde, é igual ao que mata seu desafeto”, exemplificou o parlamentar.

O projeto de lei (21/2011), “que dispõe sobre as sanções aplicáveis aos agentes públicos nos casos de enriquecimento ilícito no exercício de mandato, cargo, emprego ou função na Administração Pública direta, indireta ou fundacional, e dá outras providências”, prevê que a pena para os crimes de corrupção variem de 12 a 30 anos.

Segundo Protógenes, a legislação brasileira não inibe a corrupção, pelo contrário, estimula a atuação dos que definiu como “ladrões da república”.

Com a experiência de atuar do lado técnico e agora do lado político, o delegado, que ficou mais conhecido pela Operação Satiagraha, considerou que o Estado como agente político está muito distante de atender a realidade do País.

“O interesse privado sobrepõe o público e estas organizações criminosas se utilizam da máquina do Estado para desviar bilhões e eles ainda continuam no poder”, comentou, apontando, como solução, dotar o Estado de mecanismos fortes para fazer frente à impunidade.

Líder de operações que flagraram crimes praticados por políticos como Paulo Maluf, Celso Pita, além do banqueiro Daniel Dantas, ele acredita que seus projetos vão equiparar a força das autoridades competentes ao crime organizado. Além do PL 21/2011, Protógenes conta que propôs a lei de número 6.578/2009 que trata especificamente de organizações criminosas.

Opiniões - O deputado federal também opinou sobre as modificações recentes na legislação penal. Questionado se foi a confissão do Estado em que é mais viável modificar a lei do que melhorar o sistema carcerário, já que a legislação torna mais permissiva a questão da fiança para desafogar os presídios, o parlamentar concordou.

“É a confissão do Estado em não resolver as deficiências. Nem a população carcerária quer isto, quer é ser recuperada e ressocializada”, pontuou.

Além da impunidade e corrupção, Protógenes citou como desafios no combate ao crime no Brasil o reforço de proteção às fronteiras, inclusive, em Mato Grosso do Sul. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

GESTÃO PÚBLICA
Reinaldo Azambuja fala sobre desafios da nova gestão em entrevista à GloboNews
BONITO - MS - CONGRESSOS DE NETWORKING
Bonito (MS) receberá pelo menos 10 mil visitantes na baixa temporada em busca de networking em 2019
AGORA DEU MEDO
PMA captura cascavel de 1,3 metros em residência na Capital
GERAL
Em MS, 38 radares voltam a operar na BR-163 a partir da próxima semana
TEMPO E TEMPERATURA
Alerta: 24 cidades de MS estão com aviso de tempestade de perigo potencial
BONITO - MS - POLÍCIA
Vítima de 'estupro virtual' volta para casa e retoma rotina na escola em Bonito (MS)
GERAL
Sistema do Detran-MS continua fora do ar nesta quarta-feira
GERAL
Gabaritos do Enade 2018 já estão disponíveis no site do Inep
COTA ZERO
Deputados pedem que caça do jacaré seja liberada
POLÍCIA
Homem é preso, suspeito de exploração sexual de criança