Menu
mutantes
segunda, 25 de maro de 2019
ASSOMASUL MARÇO
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Depois de dois anos de debate, Câmara aprova Código Florestal

25 Mai 2011 - 10h35Por G1

 

Deputados no plenário durante votação do Código Florestal (Foto: Rodolfo Stuckert / Agência Câmara)Deputados no plenário durante votação do Código
Florestal (Foto: Rodolfo Stuckert / Agência Câmara)

Depois de quase dois anos de discussões, a Câmara aprovou na noite desta terça (24), por 410 votos a favor, 63 contra e uma abstenção, o projeto do novo Código Florestal, legislação que estipula regras para a preservação ambiental em propriedades rurais.

Com a aprovação, a matéria será enviada ao Senado, onde deverá sofrer modificações e será alvo de novos embates entre integrantes do governo, da base aliada na Casa e do movimento ambientalista.

Em uma sessão marcada por protestos de parlamentares ligados aos ambientalistas – que tentaram, sem sucesso, adiar a votação – e por manifestações de defensores do agronegócio, os deputados referendaram o texto elaborado pelo relator Aldo Rebelo (PCdoB-SP). No Senado, o relator da matéria será o senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC).

O projeto do Código Florestal, entre outras regras, prevê dois mecanismos de proteção ao meio ambiente. O primeiro são as chamadas Áreas de Preservação Permanentes (APPs), locais como margens de rios, topos de morros e encostas, que são considerados frágeis e devem ter a vegetação original protegida. Há ainda a reserva legal, área de mata nativa que não pode ser desmatada dentro das propriedades rurais.

Depois de um longo período de negociações, o relator conseguiu garantir no texto dispositivo que isenta pequenos produtores da obrigatoriedade de recompor reserva legal em propriedades de até quatro módulos fiscais – um módulo pode variar de 40 hectares a 100 hectares.

Rebelo e os líderes partidários também conseguiram amarrar no texto a garantia de que atividades consolidadas em APPs, como o cultivo de maçã ou plantio de café, por exemplo, serão mantidas pelo governo. O impasse sobre a especificação de quais culturas poderão ser permitidas, no entanto, ainda deve ser resolvido no Senado.

O artigo que trata da anistia para quem desmatou até julho de 2008, previsto no texto de Rebelo, também será discutido com os senadores. Da mesma forma, o governo também vai trabalhar no Senado para incluir no texto do Código Florestal punições mais rigorosas para quem reincidir em crimes ambientais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Edital do Enem é divulgado; taxa de inscrição é de R$ 85
EMPREGOS E CONCURSOS
Inscrições de concurso do Conselho Regional de Educação Física terminam dia 15
EDUCAÇÃO
Inscrições do Encceja começam em maio; provas serão aplicadas em agosto
TEMPO E TEMPERATURA
Semana começa com céu aberto e calor de até 37°C em MS
MEIO AMBIENTE
Projeto nos municípios da Bacia do Taquari proporciona conservação de 8,6 mil hectares de solo
ECONOMIA
Com ações do Estado, Porto Murtinho se tornará o maior polo exportador de MS
BONITO - MS - LUTO
Bonito (MS) perde Seu Ademarzinho e prefeitura divulga nota de pesar
TRAGÉDIA FAMILIAR
Morador de Maracaju comete suicídio com tiro na cabeça em confraternização familiar em Rio Brilhante
Cidades
Homem é assassinado a pauladas ao matar e comer galo de vizinho em cidade do MS
GREVE VINDO AÍ
Monitoramento mostra que caminhoneiros já se mobilizam para nova paralisação