AGÊNCIA_SUCURI_MEGA_BI
Bonito Informa - Notícias de Bonito e região
Bonito, 13 de Dezembro de 2017
DELPHOS_FULL
KAGIVA
17 de Maio de 2011 08h06

Depoimento de agente da PF que matou policial militar durou 5 horas

Campo Grande News

Durou cerca de 5 horas o depoimento à Polícia Civil do policial federal Leonardo de Lima Pacheco, 38 anos, como parte do inquérito em que ele foi indiciado pelo homicídio do policial militar Sandro Morel, 36 anos, e a tentativa de homicídio de outro policial militar, José Pereira.

Foi a primeira vez que Leonardo deu sua versão sobre o tiroteio em que também foi baleado, após marcar na internet um encontro com a guarda municipal Zilda Ramires, 44 anos.

A defesa de Leonardo argumentou que ele agiu em legítima defesa, diante da invasão de seu apartamento pelas três pessoas, sem mandado de busca.

A história-A confusão começou com uma conversa na internet entre Zilda e o policial. Ele disse à Zilda que era traficante, e ela acionou a equipe do serviço de inteligência da Polícia Militar na cidade com o intuito de prendê-lo.

A defesa de Leonardo argumentou que ele agiu em legítima defesa, diante da invasão de seu apartamento pelas três pessoas, sem mandado de busca.

A assessoria de imprensa da PF (Polícia Federal) informou que Leonardo vai voltar ao trabalho normalmente e que será alvo de uma sindicância para apurar os fatos.

O agente ficou preso até quinta-feira passada, quando foi concedida a liberdade provisória pelo juiz Adriano da Rosa Bastos, da 3ª Vara Criminal de Dourados. A decisão impõe condições, como foi sugerido pelo Ministério Público Estadual.

Ele deverá manter a Justiça informada sobre seu endereço e comunicar viagens superiores a 8 dias. Também não poderá ser transferido pela Polícia Federal para outra cidade, para não trabalhar o andamento do processo.

Comentários
Veja Também
conde_foto
Últimas Notícias
  
ANUNCIE AQUI
AGÊNCIA_SUCURI_LATERAL
dothCom © Copyright BonitoInforma - Todos os Direitos Reservados.