Menu
KAGIVA
segunda, 20 de agosto de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Custo da cesta basica familiar sobe 0,35% no mês de agosto

6 Set 2011 - 13h49Por Correio do Estado

O custo da cesta básica familiar composta de 32 produtos de alimentação, cinco produtos de higiene pessoal e sete produtos de limpeza doméstica, essenciais à sobrevivência adequada de uma família de cinco pessoas registrou alta de 0,35% no mês passado na Capital. Segundo levantamento da Secretaria de Meio Ambiente, do Planejamento e da Ciência e Tecnologia (Semac) divulgado hoje no mês de agosto, o custo da cesta familiar foi de R$ 1.085,00. No levantamento anterior, esse valor foi de R$ 1.081,24. Quanto à variação acumulada nos últimos doze meses, registrou alta de 11,26%; nos últimos seis meses, 2,28; e no ano, 4,34%.

Dentre os 44 produtos pesquisados que compõem a Cesta Familiar, 21 apresentaram alta, 19 apresentaram queda de preço, e quatro produtos mantiveram seu preço inalterado.

No grupo Alimentação (32 produtos), a pesquisa constatou alta de 0,36%, registrado pelos principais produtos: margarina (9,88%); abobrinha (6,87%); cenoura (6,29%); queijo (5,66%); tomate (4,26%); arroz (3,67%); mamão (2,69%); doces (2,57%); carne (2,26%) e frango (1,62%). Alguns produtos tiveram queda: batata (16,03%); cebola (8,75%); alface (7,14%); sal (5,26%); alho (4,06%); ovos (3,49%); laranja (3,13%), feijão (2,18%); açúcar (1,65%); trigo (1,17%); óleo (1,16%) e manteiga (0,77%). O pão francês, pão doce, macarrão e couve não registraram alteração de preços.

Análise

A cotação da abobrinha no mercado nacional esteve em alta no período, com acréscimo de 6,87% nos valores. Devido à quebra de produtividade nas lavouras, que restringiu a oferta, o preço da cenoura aumentou 6,29%.

Sobre os produtos que reduziram de valor, a análise mostra que, com a boa produtividade do sal no período, houve aumento de oferta, no mercado interno e consequente queda de preço. As regiões produtoras de cebola encontram-se no período de safra, o que diminui seu preço em 8,75%, conforme mostrou a pequisa.

O Grupo Higiene Pessoal (cinco produtos) registrou uma variação positiva de 0,50%. Os produtos que colaboraram para esta alta foram: sabonete, 2,99% e dentifrício, 2,14%. Os produtos que diminuíram de preço foram: absorvente 0,55%, papel higiênico 0,46% e lâmina de barbear 0,11 %.

O Grupo Limpeza Doméstica (sete produtos) assinalou uma queda de 0,05%, destacando os seguintes produtos: água sanitária, 6,98%; esponja de (aço), 3,60%; e sabão (pó) 0,29%. Os produtos com registro de alta foram: desinfetante, 3,20%; sabão em barra, 2,74%; cera em pasta, 1,05%; e detergente, 1,00%.

Em termos de renda versus salário-mínimo, houve um comprometimento de 39,82% do valor total da renda familiar, considerando cinco salários mínimos - R$ 2.725,00 - para atender uma família composta por cinco membros. No mês anterior foram registrados 39,68%.


INDIVIDUAL

Já o custo da Cesta Básica Alimentar Individual em Campo Grande registrou em agosto um decréscimo de 1,09% em relação ao mês anterior, apresentando a importância de R$ 240,14. Em julho, o custo foi de R$ 242,78.

Levantamento realizado pela Semac mostrou que dos 15 produtos que compõem a Cesta, oito registraram queda: batata (15,95%); alface (7,15%); sal (4,76%); laranja (3,11%); feijão (2,17%); açúcar (1,54%); óleo (1,39%) e banana (0,72%). Cinco produtos acusaram alta de preço: margarina (9,59%); tomate (4,28%); arroz (3,62%); carne (2,26%) e leite (0,53%). Pão e macarrão mantiveram seus preços inalterados.

Análise

Na análise dos pesquisadores, a intensificação da colheita da batata aumentou a oferta do produto no mercado interno diminuindo seu preço em 15,95% - a principal redução. Em relação ao alface, o clima esteve favorável para o cultivo, com volume elevado, ocasionando queda de preço de 7,15%.

Já na avaliação dos produtos que mais tiveram alta, a pesquisa mostrou que, com a falta de promoção nos estabelecimentos pesquisados, a margarina retornou ao seu preço normal refletindo aumento de preço de 9,59%. Baixo volume do tomate no mercado interno, devido ao período de entressafra, ocasionou alta de 4,28% no varejo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - VACINAÇÃO ATÉ DIA 31
Após dia D, crianças podem ser vacinadas até 31 de agosto em Bonito (MS)
PROPAGANDA ANTECIPADA
Juiz rejeita recurso e mantém multa de R$ 31,5 mil a Odilon por uso de outdoors
AÇÕES DO GOVENO DO MS
Em 4 anos, Governo Reinaldo entrega mais pontes de concreto do que em toda história do Estado do MS
BONITO - MS
Jogos Escolares 2018 terão início nesta segunda-feira, dia 20 em Bonito
EM MIRANDA - MS - CASO DE POLÍCIA
Donos de casa noturna são presos por estupro coletivo de adolescente em Miranda
STOCK CAR
Vítima atropelada na Stock Car Light permanece no CTI
TJMS
Tribunal de Justiça triplica valor do "auxílio saúde" para juízes e desembargadores
ECONOMIA
Tesouro pagou em julho R$ 602,43 milhões em dívidas de estados
EDUCAÇÃO
Começam hoje inscrições para bolsas remanescentes do ProUni
JUSTIÇA
Ministras do STF conclamam mulheres a buscar igualdade pelo voto