Menu
mutantes
tera, 19 de maro de 2019
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Contag apresenta a Dilma reivindicações da agricultura familiar para safra 2011-2012

2 Abr 2011 - 14h03Por Agência Brasil

A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) quer que o governo destine no Plano Safra 2011-2012 pelo menos o mesmo volume de recursos liberados para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) na temporada 2010-2011. No ciclo agrícola que está se encerrando agora, o Pronaf contou R$ 16 bilhões para financiar a pequena produção.

A informação foi dada hoje (1º) pelo presidente da Contag, Alberto Broch, depois de se reunir no Palácio do Planalto com a presidenta Dilma Rousseff e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, para apresentar as reivindicações da agricultura familiar para a próxima safra. Os R$ 16 bilhões que a entidade espera que sejam destinados ao Pronaf vão ser usados para crédito custeio, comercialização e investimento. A Contag também defende o aumento do limite de financiamento por produtor.

Um ponto prioritário da pauta de mais de 200 itens, segundo Broch, é a “necessidade de adequação do Código Florestal Brasileiro”. Ele disse que o setor apresentou 18 emendas ao projeto de lei do deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP), distinguindo, principalmente, as especificidades da agricultura familiar.

“Pedimos urgência nessa adequação do código e que acatem nossas sugestões. Hoje, mais de 80% dos produtores familiares não estão regularizados”, afirmou o presidente da Contag. Ele disse que o setor espera que haja consenso em relação ao texto do novo Código Florestal até o Grito da Terra 2011, que ocorrerá nos dias 17 e 18 de maio, quando milhares de agricultores familiares estarão em Brasília para cobrar do governo respostas às reivindicações.

Broch disse que um tema central da pauta de reivindicações é o fortalecimento da assistência técnica no meio rural. “Não se evolui nos outros pontos que estamos colocando se não tiver assistência técnica e extensão rural.” Outros pontos colocados foram mais apoio à comercialização, ao cooperativismo e à habitação no campo, assim como implementação de agroindústrias.

De acordo com o ministro do Desenvolvimento Agrário, a presidenta pediu a ele e ao secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, para intermediarem as reivindicações do setor com os 15 ministérios envolvidos na pauta. Segundo Afonso Florence, a presidente Dilma pretende apoiar a industrialização da produção da agricultura familiar.

O presidente da Contag gostou de ouvir a presidenta enaltecer a importância da agricultura familiar. “Dilma disse que não se combate a pobreza sem fortalecer a agricultura familiar.” Além disso, Broch afirmou que ela falou sobre a criação de creches na área rural, onde cresce a participação da mão de obra das mulheres, e sobre uma educação diferenciada para o campo, com boa qualidade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PROJETO NA BANCADA FEDERAL
Projeto da deputada Rose Modesto aumenta tempo de prisão para feminicídio
POLÍCIA
Segundo suspeito de roubar R$ 15 mil de empresa e agredir funcionários é preso em MS
CIDADES
Com quadro de desnutrição e desidratação, idosa de 92 anos é resgatada pela Marinha no Pantanal
CIDADES
Cheia no Rio Apa deixa ribeirinhos ilhados e moradores são levados para abrigos em cidade de MS
GOVERNO DO ESTADO
Entenda o Programa de Desligamento Voluntário que será votado pela Assembleia Legislativa
TEMPO E TEMPERATURA
Inmet alerta para chuvas intensas em Bonito e em outras 70 cidades de MS
MEIO AMBIENTE
Polícia Militar Ambiental de MS completa 32 anos e comemora o fim dos “coureiros”
SAÚDE
Saúde confirma quarta morte por dengue este ano em MS
SABORES
Na concorrência com Tastmade, amigas criam página com receitas para MS
LOTERIA
Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio acumulado de R$ 33 milhões