Menu
KAGIVA
quarta, 19 de dezembro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca
UNIPAR_PC

Conselho de Transição da Líbia rejeita presença militar da ONU

31 Ago 2011 - 17h05Por Agência Brasil

Os líderes que comandam interinamente a Líbia rejeitaram a participação militar internacional no país, incluindo a presença de observadores desarmados, segundo o enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU), Ian Martin. "Está claro que os líbios querem evitar qualquer tipo de presença militar da ONU ou de outras organizações", disse ele.

O comando do Conselho Nacional de Transição (CNT) informou que o país não precisa de ajuda externa para manter a segurança, enquanto o vice-representante da Líbia nas Nações Unidas, Ibrahim Dabbashi, disse que a situação é única. "Não é uma guerra civil, não é um conflito entre dois lados, é o povo se defendendo de uma ditadura", explicou.

Segundo o enviado especial da ONU à Líbia, a expectativa é que o CNT peça ajuda para a criação de uma força policial e para a organização de eleições. A previsão é que as eleições ocorram 240 dias depois que for declarada a libertação do país.

"É preciso lembrar que não há nenhuma memória de eleições [na Líbia], não há um maquinário eleitoral, não há comissão eleitoral, não há história de partidos políticos, não há sociedade civil independente, e a mídia independente só começou a surgir muito recentemente", disse Martin.

"Será um grande desafio organizacional e está claro que o CNT quer que a ONU tenha um papel importante no processo.” O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que a crescente demanda por suprimentos na Líbia exige uma resposta urgente e pediu que o Conselho de Segurança reaja com rapidez a pedidos de financiamento da liderança interina.

Apesar de estoques de suprimentos médicos e alimentos escondidos pelo governo terem sido encontrados no fim de semana, ainda há falta de água no país. "Estima-se que 60% da população de Trípoli estejam sem água e saneamento", disse Ban Ki-moon.

Autoridades da União Europeia informaram que as forças pró-Khadafi são responsáveis pelo corte de suprimentos. Ontem (30), os líderes rebeldes deram um ultimato às forças leais ao coronel Muamar Khadafi, ameaçando com uma ofensiva militar se não houver rendição até sábado (3).

A mulher e três filhos do líder líbio estão refugiados na Argélia desde anteontem (29), mas o paradeiro de Khadafi permanece desconhecido. Há boatos que ele pode estar em Sirte, sua cidade natal, em Bani Walid ou em Sabha. Segundo o vice-líder do CNT, Ali Tarhouni, há confiança que ele será capturado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - NOVA MESA DIRETORA
Câmara elege nova presidente e mesa diretora para 2019-2020 em Bonito (MS)
BONITO - MS - TERERÉS A POSTOS
Preparem o tereré, quarta e quinta terá máxima de 39°C com sensação de 42°C em Bonito
CASO MARIELLE
Caso Marielle: suspeito preso era ocupante do carro dos bandidos que mataram vereadora
TRAGÉDIA FAMILIAR
Criança de 2 anos se pendura em tanque de lavar roupas, cai e morre
OPORTUNIDADES
TCE abre 70 vagas em várias áreas para estagiários em MS
BANDIDAGEM - NÃO SOBRE NEM A IGREJA
Em MS, bandidos arrombam porta de Igreja e fogem com dinheiro das doações
FATALIDADE
Operador de máquina de 56 anos morre após acidente grave na Cohab
JARDIM - MS - OPERAÇÃO DA PRF E CIVIL
Grupo de Operações com Cães da PRF e Polícia Civil fazem 'arrastão' durante Operação em Jardim
GOVERNO DO ESTADO DO MS
Governo paga nesta terça-feira R$ 500 milhões em 13º para servidores
DEUS SALVOU BEBÊ E FAMÍLIA
Em MS, Carro capota e duas pessoas ficam feridas na BR-262; cadeirinha salva bebê