Menu
KAGIVA
segunda, 20 de agosto de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca
NA MIRA

Com contribuição de MS, desvios no Centro-Oeste chegam a R$ 3 bilhões

13 Out 2017 - 07h32Por DA REDAÇÃO

Os desvios de recursos investigados pela Operação Lama Asfáltica em Mato Grosso do Sul contribuem para que em todo o Centro-Oeste sejam contabilizados perto de R$ 3 bilhões de dinheiro público usados em práticas de corrupção. Os valores relativos a Mato Grosso do Sul totalizam R$ 150 milhões.

A Lama Asfáltica, como outras operações estaduais, é mencionada em reportagem da Uol, veiculada nesta quinta-feira (dia 12). De acordo com a matéria, a Operação Lava Jato, que apura crimes de corrupção em nível federal, é referência para investigações estaduais, como a de Mato Grosso do Sul.

Conforme a matéria, a Polícia Federal e outros órgãos de fiscalização desencadearam mais de 50 operações nos estados do Centro-Oeste desde 2014, ano em teve início a Operação Lava Jato. Os valores desviados dos cofres públicos somam aproximadamente R$ 3 bilhões, o maior entre as regiões brasileiras, conforme apurou a reportagem.

A matéria menciona, a partir de informações da Polícia Federal, que foram desviados R$ 150 milhões em Mato Grosso do Sul. Como resultado das ações da Lama Asfáltica, 15 pessoas foram presas, mas, atualmente, aguardam em liberdade a conclusão das investigações.

Nos desvios de dinheiro, conforme lembra a reportagem, foram empregados diversos mecanismos, com irregularidades que vão de compras de livros a execução de obras de rodovias. “Com isso, a operação original desdobrou-se em outras três: Fazendas de Lama, Aviões de Lama e Máquinas de Lama”, cita a reportagem. Entre as obras investigadas, estão rodovias estaduais e o Aquário do Pantanal.

O ex-governador André Puccinelli (PMDB), investigada na Lama Asfáltica e que foi obrigado a usar tornelezeira eletrônica e teve bens bloqueados, também é destacada na reportagem. “Os outros envolvidos eram ex-secretários, empresários e vários servidores públicos”, acrescenta.

Outros – Em Mato Grosso, segundo informa a reportagem, o STF (Supremo Tribunal Federal) determinou, em agosto deste ano, abertura de inquérito para apurar o destino de R$ 310 milhões desviados dos cofres do Estado entre 2004 e 2014.

Em Brasília, foram registradas imagens durante a Operação Caixa de Pandora em 2015. “Desencadeada para apurar desvios de dinheiro público, a investigação levou o ex-governador José Roberto Arruda (ex-PSDB, ex-DEM, ex-PR, atualmente sem partido) direto do Palácio do Buriti para a prisão”, diz a matéria.

Deixe seu Comentário

Leia Também

OPORTUNIDADES
Concursos oferecem mais de 600 vagas com salários de até R$ 11,9 mil no Estado
OPORTUNIDADES
Concursos públicos oferecem 338 vagas com salários de até R$ 12,3 mil
OPORTUNIDADES
Inscrições para vagas com salários de até R$ 3,7 mil se enceram dia 24
CIDADES
Bolsa Família começa a pagar benefício com reajuste
MS
Operação da PF prende suspeitos de golpes via aplicativos de mensagens
POLÍTICA
Cartórios querem revisão dos valores cobrados pelos serviços em MS
GERAL
Inscrições abertas para voluntários músicos no CBMMS
CULTURA
Inscrições para oficinas gratuitas no Centro Cultural começam dia 17 de julho
TRÁFICO
PRF apreende maconha e crack que seriam levados de MS até SP por R$ 7 mil
LOTERIA
Prêmio principal da Mega-Sena acumula mais uma vez