Menu
ITALÍNEA DOURADOS
quinta, 24 de janeiro de 2019
KAGIVA
Busca
UNIPAR_PC

Chuva em excesso fará safra de MS ser 1 das piores dos últimos 10 anos

11 Mar 2011 - 09h37Por Campo Grande News

A Famasul (Federação da Agricultura de Mato Grosso do Sul) está orientando os produtores rurais do Estado a fazerem laudos técnicos sobre as perdas nas lavouras de soja provocadas pelas chuvas, já com vistas a um pedido de prorrogação do prazo de pagamento dos financiamentos contraídos para o cultivo da safra. A produção, que seria recorde, deve ser uma das piores da década, com as perdas provocadas por tantos dias chuvosos, que impediram a colheita.

A previsão anterior era colher 5,4 milhões de toneladas, mas, segundo estimativa do assessor técnico da Famasul, Lucas Galvan, o resultado esperado, agora, é pelo menos 30% menor. Ou seja, o estado deve colher 4 milhões de toneladas de soja, retrocedendo a patamares de 4 a 5 anos atrás.

Em termos de valores, o prejuízo estimado beira R$ 1 bilhão, considerando o que investido para cultivar as lavouras, a maioria expressiva dinheiro vindo dos financiamentos bancários, com destaque para o maior financiador da atividade agrícola, o Banco do Brasil.

É por causa dessa dívida contraída que a Famasul está orientando a confecção de laudos sobre as perdas. “O produtor pode fazer laudos individuais ou coletivos, desde que seja de uma assistência técnica, de engenheiro agrônomo”, explica Galvan.

Em São Gabriel do Oeste, já foi feito um laudo coletivo, que subsidiou a decretação de estado de emergência. A cidade calculou perda de 60% da safra da soja. Dos 40% restantes, ainda falta colher mais de 15%.

De acordo com o assessor técnico da Famasul, a região norte do Estado foi a mais prejudicada com relação às perdas na safra. Mas nem por isso a região sul, grande plantadora, vai ter colher a safra recorde esperada. Em muncípios como Maracaju, as perdas são calculadas em 40% a 50%.

Perdas duplas-Além da área perdida, onde o grão aprodeceu no campo, os produtores também vão perder na qualidade da soja colhida. “Isso vai fazer com que recebem menos na hora de concretizar a venda”, explica Galvan.

Não há nem a expectativa de que, com menos soja no mercado, os preços possam melhorar para alguns. É que isso só aconteceria se houvesse uma quedra de safra em todo o País, ou mesmo no mercado internacional, o que não está previsto.

Este ano, a cotação do grão está em média, mais de 40% acima da safra passada. Esse aumento estava gerando uma expectativa bastante para os sojilcutores do Estado de ter um positivo, o que, agora, aumenta ainda mais o sentimento de frustração.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EM MS
Lutador tem liberdade negada e Justiça marca 1ª audiência de madrasta que pisoteou bebê até a morte
AGENDA
Carreta da Justiça atende moradores de Paraíso das Águas até sexta-feira
POLÍCIA
Suspeito de 58 golpes, preso 'artista' volta a agir de dentro da cadeia
POLÍCIA
Em menos de uma semana PM apreende mais de uma tonelada de drogas e recupera 37 veículos
ENTRETENIMENTO
BBB19: Vanderson sai da casa para prestar depoimento e é desclassificado
ECONOMIA
Trocar ar-condicionado por ventilador rende economia de até 20% na conta
POLÍCIA
PM apreende mais de meia tonelada de maconha e recupera Civic furtado em Nioaque
EMPREGOS E CONCURSOS
Publicada relação de profissionais cadastrados para a função de professor temporário
CIDADES
Morre o ator Caio Junqueira, uma semana após acidente de carro no Aterro
BONITO - MS
Passeios em Bonito são finalistas de prêmio internacional de sustentabilidade