Menu
BONITO_PREFEITURA_FEVEREIRO_2019
segunda, 18 de fevereiro de 2019
mutantes
Busca
ITALÍNEA DOURADOS

Campo Grande é pioneira ao realizar com sucesso primeiro julgamento digital do Brasil

2 Set 2011 - 16h00Por Campo Grande News

A Capital de Mato Grosso do Sul foi pioneira ao realizar hoje (2) o primeiro julgamento digital do Brasil. A audiência, presidida pelo juiz Aluísio Pereira dos Santos, disponibilizou notebooks para os sete jurados, auxiliando no acesso ao processo. De acordo com os magistrados e as partes, a ferramenta garantirá maior conhecimento do caso ao júri, facilitando a consulta e avaliação diária do caso.

Segundo o promotor Douglas dos Santos, a mudança ajudará no conhecimento dos jurados sobre o processo, que antes era apresentado ao júri em calhamaços encadernados. “Era disponibilizada apenas uma cópia do processo para todos os jurados, o que dificultava as vistas e o conhecimento do conteúdo”, declarou. A expectativa também é que o pronunciamento da sentença seja acelerado, já que o tempo gasto será reduzido.

O juiz Aluísio Pereira foi quem teve a iniciativa da realização de um julgamento totalmente digital. Ele acredita que além da facilidade de acesso ao processo, o júri digitalizado também ajudará o meio ambiente, promovendo a economia de papel. “A principal renovação é a substituição da caneta pela assinatura digital, que é chamada de toquem. O segundo grande benefício é o acesso ao processo sem ter que imprimí-lo, evitando o desperdício de papel”, avalia. A iniciativa da realização totalmente digital do julgamento foi do próprio magistrado.

Os advogados também aprovaram a nova idéia. Ronaldo Franco, que fazia a defesa do réu que foi julgado, vê na rapidez na avaliação dos jurados o principal benefício da novidade. “Em julgamentos normais eu teria uma cópia impressa para mim, outra para o promotor, outra para o juiz e apenas mais uma para os jurados. Nesse caso, para avaliar o fato, esses jurados teriam que passar o processo de mão em mão para ter um prévio conhecimento do caso, o que atrasa e ainda dificulta a avaliação”.

O advogado também destaca que os jurados não têm conhecimento do fato e são apresentados ao caso no momento da audiência. “Sem dúvida, com a disponibilidade do processo para cada um dos jurados eles poderão ter uma visão mais clara do que realmente aconteceu e não terão que depender do que eu falo ou do que o promotor fala para decidir a vida do réu”.

Caso

O julgamento de ontem (1º) foi de um caso de homicídio ocorrido em 9 de janeiro deste ano. Na data, Dener Souza Ruiz, 19 anos, matou com um tiro Rafael Silva de Almeida, na época com 22 anos de idade. O réu chegou de moto em frente ao Clube da Saudade, no bairro Coronel Antonino, às 5 horas da manhã e disparou contra a vítima, que morreu na hora.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Combate a hanseníase: Carreta da Saúde segue por MS e estaciona em Jardim
GERAL
Em MS, 54 mil trabalhadores nascidos em março e abril podem sacar o PIS a partir de quinta-feira
POLÍCIA
PM cumpre dois mandados de prisão e recaptura um evadido do Sistema Prisional em Guia Lopes
POLÍCIA
Polícia Militar apreende 35 pacotes de cigarros contrabandeados em Nioaque
BONITO - MS - SAÚDE
Projeto Roda-Hans/Carreta da Saúde atende amanhã em Bonito
GERAL
Municípios interessados em sediar eventos da Fundesporte devem apresentar propostas até 1º de março
DEFESA SANITÁRIA
Em MS, médicos veterinários cadastrados para coleta de mormo recebem capacitação
ESPORTES
FCMS e Fundesporte abrem inscrições para o primeiro curso de Arbitragem em Canoagem do MS
CULTURA
Músicos lamentam a morte de Dino Rocha, o Rei do Chamamé
CASO DE POLÍCIA NO MS
Em MS, adolescente de 16 anos se tranca em quarto e mata filha de 21 dias sufocada