Menu
BANNER ANNA
segunda, 21 de outubro de 2019
BONITO CÂMARA OUTUBRO 2019
Busca
ZAP INFORMÁTICA
DOURADOS

Câmara recorre no TJ decisão que barra posse da Mesa em Dourados

23 Fev 2011 - 07h02Por Bonito Informa com Assessoria

O vereador Idenor Machado (DEM) ingressa hoje com um recurso contra a decisão liminar do desembargador do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), Júlio Roberto Siqueira Cardoso, que suspendeu na segunda-feira (21) a posse da nova Mesa Diretora da Câmara, eleita no dia 11 passado. A posse estava marcada para a manhã de hoje e Idenor assumiria a presidência.

Idenor informou que a decisão de ingressar com recursos contra a liminar concedida pelo Tribunal foi tomada conjuntamente com os demais vereadores que participaram eleição da nova Mesa Diretora. Segundo ele, o processo eleitoral para escolha dos membros foi realizado “dentro da legitimidade e da legalidade”, seguindo o regimento interno da Casa e a decisão, em primeiro grau, do juiz José Domingues Filho, da 6ª Vara Cível de Dourados, que no final de janeiro autorizou a realização da eleição da Mesa.

Inicialmente, a nova eleição para a presidência do Legislativo ocorreria em dezembro passado, três meses depois de a Câmara eleger a vereadora Délia Razuk (PMDB) presidente, em função da renúncia do então presidente Sidlei Alves (DEM).

No entanto, a vereadora alegou que o processo do qual participou se tratava de uma “antecipação” daquela eleição, e não da prorrogação do mandato de Sidlei. Ao analisar o mérito da questão, o juiz José Domingues Filho salientou que a Lei Orgânica do Município de Dourados prevê que, em caso de vacância de qualquer cargo da Mesa Diretora, “será procedida à eleição para o preenchimento da vaga, em cinco dias para completar o período”.

Assim, para o magistrado, a eleição de Délia em setembro de 2010 teria por objetivo a conclusão da gestão de Sidlei. Ainda de acordo com a sentença, a Lei Orgânica douradense veta a reeleição para a Câmara em situações como essa, o que impede Délia de pleitear novamente o cargo. Diante da decisão do juiz e com base no regimento interno, os vereadores decidiram convocar a eleição.

 “Os vereadores que participaram da eleição decidiram entrar com um recurso para contestar essa decisão por entender que a eleição do dia 11 foi um processo democrático, autêntico, que respeitou do início ao fim o regimento da Casa e a legislação em vigor”, enfatizou o vereador Idenor Machado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - PROJETO AMBIENTAL
Bonito: Associação Pestalozzi tem projeto ambiental aprovado pelo BB e ponto ecológico é prioridade
TEMPORAL E DESTRUIÇÃO
Em MS, Temporal com vento de 74km destelha casas, derruba árvores e fere eletricista
POLÍTICA
Com problemas de saúde, Zeca do PT deixa presidência do partido
CASO DE POLÍCIA
Bebê de 1 ano é internada com suspeita de overdose em MS
ENEM 2019
Confira 13 temas de redação que podem cair no Enem 2019
BONITO - MS - DESTAQUE NO LA NACIÓN
Bonito (MS) recebe 7 mil paraguaios a cada ano, Augusto Mariano destacou ao jornal La Nación
ESTUPRO
Repositor estupra sobrinha de 13 anos e fala que é apaixonado pela vítima
Tiroteio
Em frente de crianças, homem atira seis vezes contra vizinho
Agenda Oficial
Bolsonaro chega ao Japão para giro por Asia e Oriente Médio
BONITO - MS - ATENÇÃO BONITO
Atenção Bonito, Prazo para refinanciar impostos e taxas é prorrogado para dezembro