Menu
ITALÍNEA DOURADOS
quinta, 16 de agosto de 2018
KAGIVA
Busca

Calendário oficial de vacinação contra aftosa é mantido em MS

30 Set 2011 - 07h31Por Correio do Estado

 O Departamento de Saúde Animal (DSA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento decidiu manter o início da imunização contra a aftosa conforme o estabelecido no calendário oficial – dia 1º de novembro. A decisão foi tomada depois de ter sido cogitada a possibilidade de antecipação da vacinação contra a febre aftosa para outubro na faixa de 15 quilômetros da linha internacional entre o Mato Grosso do Sul e o Paraguai.

Uma nota técnica do DSA explica que não há razões epidemiológicas que justifiquem a alteração do cronograma nacional de vacinação contra febre aftosa no estado. Caberá à Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal do Estado de Mato Grosso do Sul (Iagro) avaliar e identificar a necessidade, em situações específicas, de proceder a vacinação imediata mediante acompanhamento oficial. Confira a íntegra da nota técnica.

De acordo com o documento, entre 2008 e 2010, a vacinação na região de fronteira internacional foi realizada pelo serviço veterinário oficial. O índice de cobertura vacinal alcançado na etapa de maio de 2011 foi de 98,36% – número suficiente para conter a circulação do vírus em caso de sua reintrodução na população suscetível.

Além disso, o governo já vem realizando uma série de medidas para impedir a entrada do vírus desde a notificação do foco no Paraguai. Entre elas estão a proibição da importação de animais suscetíveis e produtos que representem risco; intensificação da fiscalização de trânsito de animais, produtos e sub-produtos na fronteira; aumento da vigilância em propriedades identificadas como de maior risco e análise e investigação epidemiológica da movimentação animal recente.

Fiscalização e controle

No início desta semana, o governador André Puccinelli reiterou, do Chile, onde está em visita oficial, determinação para maior rigor no cumprimento das medidas preventivas de controle sanitário da região de fronteira, inclusive com o abate imediato de todo o gado que estiver sendo transportado irregularmente na linha de fronteira com o Paraguai. “Temos que nos desdobrar nos esforços para garantir a manutenção do nosso status de área livre de aftosa com vacinação”, disse ele, depois de passar as novas orientações à direção da Iagro.

A orientação é abater todo e qualquer animal que não tenha identificação ou documentos que não comprovem sua origem. A medida é preventiva e está prevista na legislação estadual.

Apesar do foco de aftosa no Paraguai estar distante da fronteira e mesmo considerando as medidas sanitárias adotadas pelo país vizinho, Mato Grosso do Sul deve fazer sua parte no que diz respeito ao controle do trânsito de animais, explicou o governador, lembrando que o apoio do Exército, e da Polícia Federal atuando ao lado das forças da Segurança Pública estadual reforça os cuidados que já estão sendo tomados.

Além do abate preventivo, a Iagro reforçou a fiscalização contando com as 15 barreiras fixas e volantes, além de 12 novas equipes que foram formadas e que atuam de forma estratégica, visitando propriedades e ajudando da fiscalização de rotas alternativas de transporte, para evitar a entrada de gado irregular no País.

Segundo o governador André Puccinelli, o trabalho de Mato Grosso do Sul está sendo feito com a intensidade e com o volume necessários para garantir o controle das nossas fronteiras. “Estamos mobilizando recursos financeiros e humanos necessários para que essa tarefa estratégica seja cumprida e que seus objetivos sejam alcançados. E a ordem é bem clara: animal suspeito, sem documento e sem comprovação de origem será imediatamente abatido”, afirmou.

Desinfecção

A Iagro iniciou também esta semana a desinfecção e pulverização de veículos que fazem o trânsito aduaneiro no Estado nas cidades de Ponta Porã e Corumbá, a exemplo do que vinha sendo feito em Mundo Novo. A partir do funcionamento dessas novas barreiras, o trânsito de produtos de origem vegetal volta a ser normalizado, persistindo a restrição ao transporte de animais, suspenso preventivamente.

Segundo Maria Cristina Carrijo, diretora da Iagro, “é um trabalho de fiscalização e prevenção sem prazo para término. As novas equipes estão indo a campo reforçar o trabalho de orientação e esclarecimento, além de realizar a inspeção dos bovídeos nas propriedades”, explica ela.
  

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - ATENÇÃO MÃES
Dia 'D' contra poliomielite e sarampo será neste sábado em Bonito (MS)
BONITO - MS - NAS ESTRADA VICINAIS
Agesul e prefeitura recuperam 120 Km de estradas vicinais em Bonito (MS)
BONITO - MS
Incêndio de grandes proporções destrói imóvel do Instituto Internacional Visão de Vida de Bonito
ELEIÇOES 2018 NO ESTADO
Renúncia de Chaves abre crise e tensão na campanha de Odilon
COMPORTAMENTO
Colégio Militar pula página com foto de gays para não falar de homossexualidade
CULTURA
Aniversário de 100 anos da Morada dos Baís terá concerto, espetáculo e memórias
ESPORTE
Lutador de MS é convocado para Mundial em outubro na Turquia
POLÍTICA
Com fim da hegemonia da TV, internet pode ser decisiva nestas eleições
POLÍTICA
TSE registra mais de 23 mil candidatos às eleições de outubro
MEIO AMBIENTE - JARDIM E BONITO
A condenação do rio da Prata, essencial para a biodiversidade em Jardim e Bonito (MS)