Menu
BANNER GOV
segunda, 22 de julho de 2019
BONITO CÂMARA JULHO 2019
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO

Caixa desiste de recorrer em processos de baixo valor ou de matéria pacificada no STF

3 Jun 2011 - 15h04Por Agência Brasil

 

A Caixa Econômica Federal firmou hoje (3) um acordo com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cezar Peluso, em que desiste de recorrer em processos de baixo valor e nos casos em que a matéria já esteja pacificada pelo tribunal. O banco foi apontado como o segundo maior litigante da Justiça brasileira, figurando em 8,5% de todos os processos que tramitam no país, em levantamento recente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

“Invertendo a lógica da administração pública, que é recorrer sempre, a partir de agora, o advogado da Caixa, para recorrer ao STF, vai precisar de autorização superior e demonstrar que efetivamente estamos tratando de uma matéria relevante e com perspectiva de apreciação positiva no STF”, afirmou o diretor jurídico do banco, Jailton Zanon, que não explicou o que será considerado como “baixo valor”.

A mudança já começa a valer a partir da próxima segunda-feira (6). Um dos temas onde haverá desistências é o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). “Nós temos aqui discussões relativas a formas de correção, de condenação do FGTS, que isso se pacificou tanto no STJ [Superior Tribunal de Justiça], quanto no STF”, afirmou o diretor da Caixa.

Logo de início, o acordo resultará na desistência de 500 processos em que o banco é o recorrente. Ainda restarão cerca de 100 processos, a maioria em temas que já foram admitidos com repercussão geral. Um dos exemplos é a questão da correção das cadernetas de poupança nos planos econômicos que vigoraram entre 1986 e 1991. Peluso já afirmou que pretende colocar o assunto em pauta em junho.

“Conforme o resultado, a Caixa se posicionará exatamente como colocado pelo STF, não insistirá mais no recurso”, garantiu Zanon. Segundo ele, entretanto, não haverá desistência em algumas questões trabalhistas que tratam da competência para julgar e ações sobre previdência privada que envolvem a Caixa e seus funcionários aposentados. “Esse a gente vai continuar aguardando.”

O presidente do STF, Cezar Peluso, afirmou que o gesto da Caixa estabelece uma nova postura da administração pública e que o acordo poderá servir de exemplo para que outros órgãos e também empresas privadas façam o mesmo. “Acho que as empresas privadas têm até mais liberdade de decisão que os órgãos estatais ou paraestatais”, disse Peluso.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSIDADE
Com costelas e dedo quebrados, Henrique Fogaça pega pneumonia
FESTIVAL DE INVERNO NO ÁGUAS DO MIRANDA
Alunos do Águas do Miranda pintam telas em Workshop de Estêncil Graffiti para o Festival em Bonito
AMEAÇAS
Ameaça de ataque terrorista dobra segurança da ministra Tereza Cristina
BONITO - MS - PROGRAMAÇÃO DESTA TERÇA
Confira a programação da fase pré festival desta terça-feira em Bonito (MS)
CULTURA
71ª Reunião da SBPC homenageará formadores da identidade de MS com apresentações culturais
BONITO - MS
COMTUR aprova o VisitBonito como modelo de promoção turística do destino de ecoturismo
BONITO - MS - DADA A LARGADA
Festival de Inverno é lançado trazendo pré-programação e Cozinha Show em Bonito (MS)
BONITO - MS - MOSTRA GASTRONÔMICA
BONITO: Restaurante 'Encontro das Águas' participa da Mostra Gastronômica com prato Frango à Caipira
BONITO - MS - EJA COM VAGAS
Alô Bonito (MS), EJA tem vagas para adultos no Ensino Fundamental
DETRAN-MS
Julho é mês de pagar licenciamento de placas final 6