Menu
ITALÍNEA DOURADOS
tera, 11 de dezembro de 2018
KAGIVA
Busca
UNIPAR_PC

Brasil avalia que calote da Grécia é quase certo

13 Set 2011 - 11h17Por Folha.com

O governo brasileiro acompanha "preocupado" os novos capítulos da crise na Europa e, nos bastidores, já vê muita dificuldade de a Grécia escapar de um calote.

Integrantes da equipe da presidente Dilma Rousseff falam em possível contágio de outros mercados europeus e não descartam um cenário extremo de quebra de bancos, citando a falência do Lehman Brothers em 2008.

Em meio a um forte nervosismo global sobre o futuro da Grécia, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, fez nesta segunda-feira ao núcleo do governo um relato da situação externa. Afirmou, na ocasião, que as nações europeias em melhor condição fiscal devem ajudar demais países em dificuldades.

Citou, especificamente, França, Alemanha e Holanda, donas de um mercado "mais ativo" que os vizinhos.

Segundo Mantega, as "economias mais dinâmicas", são responsáveis pela retomada da expansão mundial.
"Sem esses países, não tem como estimular o crescimento", disse o ministro da interlocutores. Ocorre que esses mercados têm resistido à essa ideia.

Com dificuldade de refinanciar sua dívida, a Grécia vive uma forte crise fiscal, com risco de suspender o pagamento a seus credores e arrastar a Europa para uma crise semelhante à de 2008. Diversos bancos internacionais possuem títulos da dívida grega, por isso um eventual "default" naquela economia tem potencial para atingir o coração do sistema financeiro global.

A presidente Dilma Rousseff tem falado diariamente com Mantega sobre a situação na Grécia e em outros países na periferia da Europa.

Em tom de alerta, o ministro da Fazenda afirmou à sua equipe que "não se pode alimentar que uma profecia será realizada", e que não há outra solução que não passe pelo alongamento da dívida grega.

"Quando a confiança diminui, tudo fica mais difícil. Devíamos ter aprendido com a crise de 2008 que não se deve deixar banco quebrar, muito menos países", disse, referindo-se à falência do banco de investimentos americano Lehman Brothers, gatilho de uma das piores crises financeiras da história recente.

Apesar dos diagnósticos pessimistas no Brasil e ao redor do mundo, o Fazenda sustenta que o Brasil está menos vulnerável hoje do que estava em 2008. Apesar disso, prevê uma desaceleração das exportações nacionais e uma queda no investimento externo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - AÇÕES DO GOVERNO DO MS
Governador Reinaldo Azambuja conclui MS-178 e entrega casas para 64 famílias em Bonito (MS)
ITAPORÃ - TRAGÉDIA EM FAMÍLIA
CRIME EM ITAPORÃ: Neto matou avó com duas facadas nas costas
BONITO - MS - CASO JOÃO DE DEUS
Bonito (MS) recebeu 'João de Deus' em 2008 e promotoria se coloca a disposição para denúncias
ITAPORÃ - CRIME EM FAMÍLIA
Menor mata a própria avó a facadas em Itaporã
CIDADES
Servidores do MPMS poderão trabalhar de casa a partir do próximo ano
TRANSPORTES
Definida empresa que irá elaborar Plano Diretor de Passageiros de MS
ATENÇÃO A TODOS
Jovem lutadora russa morre eletrocutada após queda de iPhone no banho
CIÊNCIA E TECNOLOGIA
Atenção contribuinte: Sistema autorizador da NF-e valida novos códigos a partir de 2019
EDUCAÇÃO
Universidade abre 1.481 vagas para portadores de diploma
CIDADES
Operação que tem Aécio como alvo cumpre mandados em MS