Menu
KAGIVA
sbado, 20 de outubro de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Bovespa subiu ontem pela 5ª sessão consecutiva, em alta de 2,20%

16 Ago 2011 - 07h15Por Folha.com

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) fechou em alta pela quinta sessão consecutiva nesta segunda-feira, aproveitando a calma nos mercados no exterior.

Ontem, o Ibovespa, o termômetro dos negócios da Bolsa paulista, subiu 2,20%, atingindo os 54.651 pontos. O giro financeiro foi de R$ 7,99 bilhões.

Nos Estados Unidos, o Dow Jones teve alta de 1,90%. O Nasdaq, dominado pelo setor tecnológico, subiu 1,88%, enquanto o índice ampliado Standard & Poor's 500 registrou valorização de 2,17%.

O dólar comercial foi negociado por R$ 1,591, na venda, em queda de 1,24%.

A alta de ontem foi puxada pela valorização das "blue chips" (as ações mais negociadas da Bolsa) Petrobras e Vale, cujas ações preferenciais subiram 3,39% e 1,76%, respectivamente.

"A Bolsa está refletindo muito os bons ventos vindos do exterior", afirmou Raffi Dokuzian, superintendente da Banif Corretora.

Entre as boas notícias da segunda-feira está o anúncio do Google de que vai comprar a Motorola Mobility, segmento de smartphones, tablets e acessórios da empresa, por cerca de US$ 12,5 bilhões em dinheiro em uma estratégia para impulsionar o uso de seu sistema operacional Android.

A companhia vai pagar US$ 40 por ação da Motorola, um ágio de 63% sobre o valor de fechamento da ação da fabricante de celulares na sexta-feira passada em Nova York. Com o anúncio, as ações da Motorola dispararam no mercado norte-americano, subindo quase 57%, para US$ 38,25.

EUROPA

Na Europa, um encontro entre o presidente francês, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Angela Merkel, nesta terça-feira, traz esperança aos investidores de novas iniciativas necessárias para recuperar a confiança no crédito e outros mercados.

Além disso, o Japão anunciou ontem que a economia encolheu 0,3% no segundo trimestre deste ano, menos da metade do recuo de 0,7% esperado pelo mercado e apenas um terço da redução de 0,9% registrada no primeiro trimestre do ano.

O índice teve a ajuda da corrida das empresas para recuperar o nível de produção após o devastador terremoto de 11 de março. A alta do iene e a desaceleração da economia global, no entanto, surgem como obstáculos a um crescimento sustentável.

"Tivemos algumas notícias que acalmaram o mercado. Os principais papéis subiram, o dólar também caiu bem, então podemos dizer que a semana começou bem", disse Dokuzian.

O diretor da Futura Corretora, André Ferreira, disse, no entanto, que a volatilidade deve continuar forte. "Os mercados caíram demais com a notícia do rebaixamento dos EUA, agora houve um ajuste. Mas a Europa continua sendo uma grande preocupação."

Os dois analistas concordam que, caso não haja o anúncio de novas medidas para lidar com o endividamento da Europa amanhã, após a reunião de Sarkozy e Merkel, os mercados podem voltar a cair em todo o mundo.

"Tem que sair alguma coisa, porque os dois [França e Alemanh] são os países com mais influência na Comunidade Europeia", disse Dokuzian.

Deixe seu Comentário

Leia Também

IBOPE NO MS - PESQUISA
IBOPE em Mato Grosso do Sul, votos válidos: Azambuja, 53%; Odilon, 47%
BONITO - MS - AÇÕES MEIO AMBIENTE
SEMA distribui frutas produzidas no Viveiro de Mudas Nativas de Bonito (MS)
BONITO - MS - REFORMA
Prefeitura reforma instalações do Programa Bolsa Família que atende 650 beneficiários em Bonito (MS)
ELEIÇÕES 2018 - FÁBRICA DE FAKE NEWS
Polícia e Justiça 'explodem' fábrica de fake news de coordenador de Odilon
TRAGÉDIA NAS ESTRADAS DO MS
Empresário e filho de 1 ano que morreram em acidente, retornavam de Bonito (MS)
BONITO - MS - ESPORTE -
Bonito (MS) recebe estadual de beach tennis neste fim de semana
TIRO ACIDENTAL
Pai foge após matar filho de 10 anos com tiro acidental no ouvido em cidade do MS
BONITO - JARDIM - BODOQUENA E BELA VISTA
BONITO e mais 3 cidades recebem auxilio da Agesul na recuperação de estradas devido as chuvas
PESQUISA NO MS
Em nova pesquisa, Reinaldo tem 54.21% e Juiz Odilon 45.79%, VEJA NÚMEROS
DATAFOLHA - PRESIDENTE
Datafolha para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%