Menu
KAGIVA
tera, 14 de agosto de 2018
ITALÍNEA DOURADOS
Busca

Aviso prévio poderá ter mais de 30 dias

24 Jun 2011 - 11h44Por Estadão.com

O Supremo Tribunal Federal (STF) definirá uma fórmula de cálculo do valor do aviso prévio devido aos trabalhadores em caso de demissão sem justa causa para que o valor seja proporcional ao tempo de serviço. O cálculo será aplicado enquanto o Congresso não aprovar uma lei específica sobre o assunto.

Hoje, o valor pago pelos empregadores equivale a 30 dias de trabalho, independentemente do tempo de serviço. A indenização deve ser paga ou o funcionário mantido por mais um mês até o seu desligamento efetivo.

Durante o julgamento dos processos de quatro ex-funcionários da Vale, diversas propostas foram aventadas. Como não houve consenso sobre a fórmula que seria aplicada, os ministros decidiram adiar a discussão para o segundo semestre.

O ministro Marco Aurélio, por exemplo, propôs 10 dias de aviso prévio a cada ano de serviço do funcionário, resguardado o piso de 30 dias. Caso uma pessoa seja demitida após 30 anos de serviço, como era o caso de um dos processos, a empresa teria de pagar o equivalente a 300 dias de salário como aviso prévio.

O presidente do Supremo, Cezar Peluso, considerou o valor muito alto e sugeriu que fosse reduzido pela metade: a cada ano de trabalho, a empresa teria de pagar o equivalente a cinco dias de trabalho, também mantido o piso de 30 dias. Depois sugeriu que fosse pago um salário a cada 6 anos de trabalho.

O ministro Luiz Fux propôs que fosse pago o equivalente a três meses de salário quando o trabalhador supera dez anos de serviço. Ricardo Lewandowski baseou-se num projeto que tramita no Senado e propôs o pagamento equivalente a 30 dias para o trabalhador com menos de um ano, de 45 dias para quem está há mais de um ano e de 60 dias para quem está há mais de dez anos.

Para todos. A regra a ser definida pelo STF valerá para os quatro processos em julgamento, mas qualquer trabalhador poderá recorrer para ter direito à mesma fórmula. "Ao solucionar o caso concreto, teremos uma norma que será observada para os outros casos", disse o relator, ministro Gilmar Mendes.

A Constituição estabelece, no Artigo 7, que "são direitos dos trabalhadores urbanos e rurais (...) aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo no mínimo de 30 dias", mas uma lei deveria regular o tema. Porém, o Congresso nunca aprovou essa lei.

Por causa disso, os quatro ex-funcionários da Vale pediram, por meio de um mandado de injunção, que o STF suprisse a lacuna. Um deles, José Geraldo da Silva, estava há quase 30 anos na empresa e foi demitido, sem justa causa, em 2009, recebendo o equivalente a 30 dias de salário.

De acordo com o ministro Ayres Britto, há 49 projetos sobre o assunto em tramitação no Congresso. O presidente do STF antecipou-se a uma possível crítica de que o STF estaria legislando: "É para isso que existe o mandado de injunção 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - AÇÕES DO GOVERNO
Totalmente pintada, nova ciclovia já é utilizada pela população e turista em Bonito (MS)
REUNIÃO NA CÂMARA - PARTIDO NOVO
Partido Novo convoca filiados e simpatizantes para reunião hoje na Câmara Municipal em Bonito (MS)
OPORTUNIDADES
Inscrições abertas para voluntários músicos no CBMMS
CIDADES
Mais dois veículos são autuados pela Agepan por transporte irregular de passageiros
BONITO - MS - MEIO AMBIENTE
Reunião com empresas debate 'poda' e 'corte' de árvores em Bonito (MS)
ASSASSINATO EM CIDADE DO MS
Estudante é assassinado a golpes de ferro de passar roupa e pedradas em cidade do MS
TEMPO E TEMPERATURA
Segunda-feira será de tempo aberto em Bonito
71 NOMES - PESQUISA PARA FEDERAL NO MS
PESQUISA: Veja a lista da pesquisa espontânea com 71 nomes na corrida para Federal no MS
POLÍTICA
'Vendo camisetas de Bolsonaro, mas não voto nele'
SAÚDE
Pessoas ansiosas são mais propensas a roer unhas e sofrer de bruxismo