Menu
BONITO_PREFEITURA_FEVEREIRO_2019
sexta, 15 de fevereiro de 2019
mutantes
Busca
UNIPAR_PC

Aviões brasileiros vão combater tráfico na fronteira com a Bolívia

7 Jul 2011 - 07h45Por Campo Grande News

Aviões brasileiros não tripulados irão combater o tráfico de drogas na fronteira com a Bolívia. O monitoramento começará pelo espaço aéreo boliviano a partir de setembro.

De acordo com o site Diário Online, o objetivo é que as aeronaves ajudem no combate ao tráfico de cocaína na fronteira da Bolívia com o Brasil, Peru e Paraguai, conforme informou ontem, o vice-ministro da Defesa Social e Substâncias Controladas da Bolívia, Felipe Cáceres.

O vice-ministro disse que a luta será fortalecida em pontos fronteiriços como Corumbá-Puerto Suárez; Cáceres-San Matías; Guajará-Mirim-Guayaramerín e Epitaciolândia-Cobija. Os aviões serão controlados por militares da Força Aérea Boliviana, conhecidos como "diabos vermelhos".

No mês de março deste ano, o ministro da Justiça do Brasil, José Eduardo Cardozo, e o ministro de Governo da Bolívia, Sacha Llorenti, assinaram um acordo de cooperação entre os dois países. Na oportunidade, autoridades locais puderam expor aos ministros, de forma resumida, a situação fronteiriça.

 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Homem é preso em MS por estuprar crianças, filmar e divulgar vídeos
EMPREENDEDORISMO
Seleção oferecerá consultoria gratuita para 200 mulheres em MS
MEIO AMBIENTE
Em 15 dias, polícia ambiental capturou 8 cobras em residências de MS
POLÍCIA
Militares rodoviários são presos pelo Bope com dinheiro de propina em MS
GERAL
Campanha de fiscalização vai vistoriar quase dois mil veículos do sistema intermunicipal
BONITO - MS - VANDALISMO NO BALNEÁRIO
Balneário Municipal é alvo de vandalismo e prefeitura registra ocorrência em Bonito (MS)
CIDADES
Uems abre processo seletivo para professores temporários em duas cidades
MEIO AMBIENTE
Em 14h, chuva soma 90 milímetros e nível do Rio Aquidauana sobe
BONITO - MS
Bonito Cross: Fim do horário de verão neste sábado põe atletas em alerta
SAÚDE
Febre amarela: OMS recomenda vacina a visitantes de MS e mais 20 Estados