Menu
ITALÍNEA DOURADOS
quarta, 23 de janeiro de 2019
KAGIVA
Busca
UNIPAR_PC

Arroyo, Picarelli e Jerson querem vaga de Celina no TCE

16 Mar 2011 - 15h53Por Campo Grande News

Três deputados estaduais já manifestaram o interesse em assumir a vaga de Celina Jalad no TCE/MS (Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul). Com isso, eles “saem” na frente no processo, já que a manifestação do interesse pelos deputados era um dos primeiros passos para a definição do nome.

Antônio Carlos Arroyo (PR) e os peemedebistas Jerson Domingos e Maurício Picarelli são cotados na indicação que será feita pela Assembleia Legislativa.

Em entrevista nesta manhã, o primeiro secretário da Casa, Paulo Corrêa (PR), voltou a afirmar que o indicado será um deputado com mandato, descartando que “alguém de fora” ou algum suplente possa assumir a vaga.

“A escolha da vaga no TCE não seguirá critérios técnicos, pois a Assembleia é um Casa política, então, a escolha será política”, garantiu o parlamentar.

Corrêa admitiu que as negociações não foram iniciadas, oficialmente, mas que as conversas estão agendadas entre os interessados e o governador André Puccinelli (PMDB).

O parlamentar que irá ocupar a vaga aberta após a morte de Celina Jalad deve ser conhecido ainda esta semana.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MIRANDA - MS - AFOGAMENTO
'Prainha', local onde criança morreu afogada já estava interditada por risco de morte em Miranda
BONITO - MS - AÇÃO POLICIAL
Embaixo da ponte sobre o Rio Formoso, PM flagra homem e menores alcoolizados em Bonito (MS)
TRÂNSITO
Acidente entre dois carros na MS-276 deixa mulher presa nas ferragens
BRASIL
Cápsula com césio-137 é achada em ferro velho de Alagoas
GERAL
PVA 2019: pagamento à vista ou primeira parcela vencem dia 31 de janeiro
BONITO - MS
Obras inicia trabalhos de recuperação da estrada da La Lima
LOTERIA
Mega-Sena vai sortear R$ 38 milhões na noite desta quarta-feira
MEIO AMBIENTE
Mais quente do país, MS teve 45ºC de sensação térmica em duas cidades
POLÍCIA
Brasil e Paraguai cercam traficantes em nova rota
PRESIDÊNCIA DO SENADO
Sem acordo, Simone e Renan vão para o enfrentamento